Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Grupo SHC entra com pedido de recuperação judicial

Legislação | 08/11/2018 | 20h42

Grupo SHC entra com pedido de recuperação judicial

Dívida da companhia que controla a JAC Motors estaria em mais de R$ 500 milhões

REDAÇÃO AB

O Grupo SHC, responsável pela JAC Motors e outras empresas, entrou com pedido de recuperação judicial no dia primeiro deste mês. De acordo com nota divulgada pela empresa, a decisão se deu pela necessidade de buscar proteção judicial para renegociação com bancos, parceiros e fornecedores. O grupo pertence ao empresário Sérgio Habib, que além da JAC detém a rede de usados Carbraxx e concessionárias Jaguar Land Rover e Volkswagen.

A dívida de Habib passaria dos R$ 500 milhões, segundo o site Kelley Blue Book. Na nota repassada pela empresa, o Grupo SHC atribui sua dificuldade à retração de 30% do mercado brasileiro de automóveis nos últimos sete anos e à queda de mais de 80% nas vendas da Citroën, que na época representava o principal negócio do grupo. Todas as concessionárias Citroën pertencentes à SHC foram fechadas.

“Tomamos essa decisão prevista em lei para proteger a nossa companhia, nossos 700 colaboradores e os mais de 100 mil clientes da marca”, disse Habib.



Segundo ele, as atividades de importação, distribuição, vendas e pós-venda (garantia, manutenção e fornecimento de peças) da JAC Motors continuam inalteradas e preservadas.

Pode-se dizer também que Habib foi injustamente punido por sua ousadia. A operação já JAC Motors começou não com três ou quatro, mas com 46 concessionárias abertas de uma vez em 18 de março de 2011, chamado “Dia J” por Habib. O investimento divulgado na época foi de R$ 380 milhões.

A JAC começou com uma dupla de carros bem apropriada ao início da década, o hatch J3 e o sedã J3 Turin, ambos com preços camaradas (R$ 37.900 e R$ 39.900, respectivamente) e equipados com ar-condicionado, direção assistida e trio elétrico, entre outros itens. Chamados de “completões” numa campanha publicitária com o apresentador Fausto Silva, rapidamente ganharam as ruas.

Até agosto daquele ano a JAC já havia vendido 14,4 mil carros e ocupava a 14ª posição no ranking das marcas de automóveis mais vendidas, algo impensável para um recém-chegado. O sucesso e o barulho produzidos pela novata e por outros importadores incomodaram os fabricantes instalados no Brasil. Naquele ano os importados atingiram mais de um quarto das vendas locais.

Assim, em setembro de 2011 o governo divulgou que aumentaria o IPI dos importados em 30 pontos porcentuais, uma regra que passou a valer em dezembro daquele ano.



Tags: SHC, Sérgio Habib, JAC Motors, J3, J3 Turin.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência