Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Mercedes contrata em Minas para aumentar produção do Actros

Indústria | 18/09/2018 | 11h14

Mercedes contrata em Minas para aumentar produção do Actros

Com mais 150 novos postos de trabalho, número de empregados de Juiz de Fora passará de mil pela primeira vez, para fazer 28 caminhões/dia

PEDRO KUTNEY, AB | De Hannover (Alemanha)

A fábrica da Mercedes em Juiz de Fora (MG) iniciou este mês a contratação de mais 150 pessoas para aumentar a produção do extrapesado Actros de 22 para 28 caminhões/dia. Este será o segundo recrutamento para a linha de montagem aberto em 2018 – o primeiro foi no primeiro trimestre para agregar 180 funcionários à unidade e elevar a cadência de 15 para 22/dia. Com isso, pela primeira vez desde que foi convertida para produzir caminhões a planta vai passar de mil empregados, dos atuais 880 para 1.030. Mas a planta continuará a trabalhar em um só turno de oito horas. A medida foi necessária para tentar aproveitar melhor o boom do mercado de modelos extrapesados e reduzir a fila de espera pelo Actros, que chega a três meses.

A informação foi confirmada por Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil, durante a apresentação das novidades da marca este ano para o salão de veículos comerciais de Hannover (o IAA Nutzfahrzeuge 2018, de 20 a 27 de setembro), na Alemanha. Segundo Schiemer, a adoção do segundo turno em Juiz de Fora poderia fazer a produção crescer para 32 unidades/dia. “Mas não tomaremos nenhuma decisão sobre isso agora porque o momento é de incertezas, vamos primeiro deixar passar as eleições para ver como o cenário vai ficar”, afirmou.

Em Juiz de Fora também são soldadas e pintadas todas as cabines dos demais caminhões Mercedes produzidos no Brasil, que do sul mineiro seguem para a fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, onde a maioria dos funcionários também trabalha em um turno atualmente (com dois somente em algumas áreas de componentes).

MERCADO INTERNO CRESCE, ARGENTINA DERRUBA EXPORTAÇÃO



Schiemer disse que os impactos da greve dos caminhoneiros em abril passado “já foram superados, para nossa surpresa mais rápido do que esperávamos”. Ele segue com a projeção que o mercado nacional de caminhões deve crescer cerca de 30% este ano e a Mercedes deve acompanhar o mesmo ritmo – mesmo com os reajustes de preços de 6% em média este ano, em boa parte motivados pela valorização do dólar que encarece componentes importados.

O que preocupa agora é a queda das exportações com a crise econômica que se instalou na Argentina, o maior comprador externo da empresa, onde a marca detém 26% de participação de mercado. Em 2017 a Mercedes-Benz embarcou do Brasil para o país vizinho 5 mil caminhões e 2,5 mil ônibus. A projeção é que esses números devem cair de 30% a 40% este ano.

“Até abril estávamos indo muito bem na Argentina, mas depois disso o país teve a maior desvalorização cambial do ano e isso atrapalhou tudo”, avalia o executivo. No início de 2018 a estimativa era que as exportações iriam participar de pelo menos 40% da produção da Mercedes-Benz do Brasil, mas com o tombo no país vizinho esse porcentual não deve passar de 25%. “Mas esperamos que a situação se estabilize agora e comece a melhorar em 2019”, estima o executivo.

“Ao menos os demais mercados [de caminhões] da América Latina como Colômbia, Chile e Peru continuam em crescimento”, pondera Schiemer. A empresa também iniciou este ano exportações do modelo leve Accelo e do médio Atego para países da África e Oriente Médio (leia mais aqui), com configurações mais robustas, para rodar em condições mais severas.

A empresa trouxe os dois caminhões do Brasil que ficarão expostos no Salão de Hannover, no estande junto os demais modelos da Daimler Trucks feitos em diversos países do mundo. “A ideia é aumentar a exposição global desses produtos para prospectar mais clientes de exportação”, diz Schiemer.



*Esta cobertura é oferecida pela Delphi Technologies
O jornalista viajou a convite do pool de imprensa da Anfavea patrocinado por Mercedes-Benz, Scania, Volkswagen Caminhões e Ônibus, Volvo e ZF





Tags: Mercedes-Benz, Juiz de Fora, fábrica, contratações, Salão de Hannover 2018, veículos comerciais, IAA Nutzfahrzeuge 2018.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência