Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Caoa Chery bate recorde e supera 1,5 mil carros em agosto
Chery contratou 190 funcionários desde abril e pode admitir mais 200 até o fim do ano

Indústria | 31/08/2018 | 20h44

Caoa Chery bate recorde e supera 1,5 mil carros em agosto

Aumento de produção e novos modelos geram corrida por mais 50 fornecedores locais

MÁRIO CURCIO, AB

A fábrica da Caoa Chery em Jacareí (SP) alcançou seu recorde para um único mês com a produção de mais de 1,5 mil carros na soma do utilitário esportivo Tiggo 2 e do hatch QQ. Até o fim do ano, a unidade terá montado mais de 10 mil carros.

“Houve uma aceleração em agosto porque em setembro começa a preparação para colocarmos em linha o sedã Arrizo, que deve chegar ao mercado em novembro”, afirma o CEO da Caoa Chery, Márcio Alfonso.

Para 2019 o executivo estima entre 24 mil e 25 mil unidades. A capacidade instalada é de 50 mil carros. Como consequência do aumento da produção e da chegada de novos modelos, a Chery pretende adicionar 50 novos fornecedores à lista atual, que tem 44. Com isso os itens produzidos localmente passarão de cerca de 40 para 400.

“Já há fornecedores locais desenvolvendo plásticos, painéis moldados, para-choques, forrações, sistema elétrico, freios. As peças derivadas de petróleo estão com preço competitivo no Brasil”, diz Alfonso.



O programa de nacionalização seria uma consequência natural do aumento da produção e chegada de novos modelos, mas foi acelerado por seguidas altas do dólar. A maioria dos fornecedores está no Sudeste.

A fábrica da Chery em Jacareí foi inaugurada formalmente em agosto de 2014, mas só começou a produzir para valer em fevereiro de 2015. E o Celer, modelo inaugural, saiu de linha há alguns meses. A sociedade com a Caoa anunciada no fim do segundo semestre de 2017 deixa para trás as páginas cinzentas da montadora chinesa, que enfrentou algumas greves, uma recessão profunda e o consequente encolhimento de sua rede de revendas.

“Eram 25 concessionárias no fim do ano passado. Hoje são 47. Até o fim de 2018 serão 60 e queremos abrir mais 30 em 2019”, afirma o CEO da Caoa Chery.

PRODUÇÃO TAMBÉM EM GOIÁS


A montagem do interior de São Paulo ocorre em um turno e é dedicada ao Tiggo 2 e ao QQ (produzidos na mesma linha). Em algumas semanas Jacareí estará produzindo em uma segunda linha o Arrizo, sedã pouco menor que o Corolla. “Desde abril contratamos 190 funcionários. Pretendemos admitir mais 180 ou 200 até o fim do ano”, diz o CEO da Caoa Chery. O número total de funcionários estaria em 570.

Até o fim de 2018 a empresa pretende iniciar em Anápolis (GO) a produção do Tiggo 4. Será o primeiro Chery feito em Goiás, em uma planta erguida para nacionalizar veículos Hyundai. A planta monta atualmente os caminhões HR e HD 80 e os utilitários esportivos iX35 e New Tucson.

A fábrica está produzindo em apenas quatro dias da semana, fazendo cerca de 2 mil veículos por mês, e por isso Alfonso não soube informar se haverá contratações com a chegada do Tiggo 4. Para 2019 está previsto o início da produção também em Anápolis do Tiggo 7, concebido sobre a mesma plataforma do Tiggo 4.



Tags: Caoa, Chery, Jarareí, Anápolis, Arrizo, Tiggo 2, Tiggo 4, Tiggo 7, QQ, Márcio Alfonso.

Comentários

  • JoseAlonso

    Bomdia, não tenho duvidas que no futuro muito proximo esta marca se tornara um fenomeno em vendas, pois os carros estao vindo maravilhosos com excelente custo/ beneficio além de muito bonitos..

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência