Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
PSA inicia produção de Citroën C4 Cactus no Brasil

Indústria | 31/07/2018 | 14h30

PSA inicia produção de Citroën C4 Cactus no Brasil

Para montar o modelo, fábrica de Porto Real recebe R$ 580 milhões em investimentos

SUELI REIS, AB | De Porto Real (RJ)

O Grupo PSA iniciou a produção do novo Citroën C4 Cactus em sua fábrica de Porto Real (RJ), que recebeu investimentos no total de R$ 580 milhões para montar o modelo. O aporte, que vem sendo feito desde 2016 e que será concluído neste ano contempla a atualização, modernização e implementação de processos, alguns nunca antes utilizados pela companhia no País (veja o vídeo após fotos no fim do texto).

Uma cerimônia realizada na fábrica na terça-feira, 31, marcou a entrada do Cactus na linha de produção nacional da PSA. Considerado pela fabricante um SUV compacto, ele é o quinto modelo montado atualmente pelo polo industrial de Porto Real, responsável também pela montagem dos Peugeot 208, 2008 e os Citroën C3 e Aircross. Funcionando em dois turnos, a unidade emprega 1,8 mil pessoas.

“O Citroën C4 Cactus é um projeto global liderado pela equipe da América Latina. Os investimentos realizados para iniciar a produção deste modelo são compartilhados com todos os outros produtos feitos em Porto Real”, enfatizou o presidente do Grupo PSA o Brasil e América Latina, Patrice Lucas, que também é membro do comitê executivo do grupo.

Com atributos que remetem ao segmento do mercado que mais cresce atualmente, o de SUVs, o Cactus carrega consigo a responsabilidade de elevar a marca Citroën em cenário altamente competitivo, ao mesmo tempo em que representa um marco na nova estratégia da PSA para o Brasil e também para a América Latina.

“O C4 Cactus é um produto chave para Brasil e Argentina. Seu volume de vendas será importante para ganharmos mercado e ele será um dos principais modelos da marca Citroën nos mercados brasileiro e argentino”, afirma Lucas.

Ele prefere não revelar suas projeções para vendas internas do modelo e sobre exportações, limita-se a dizer que há oportunidades para o Cactus tanto na América Latina quanto nos mercados da África.

O PROJETO




O C4 Cactus foi desenvolvido pelo time do Grupo PSA no Brasil, responsável por todo o processo que demorou algo em torno de três anos, desde a concepção, estilo, design, desenvolvimento e produção local e que envolveu 400 pessoas do Brasil, Argentina e França ao longo de toda a sua criação. Foram mais de 620 mil horas de trabalho e mais de 10 mil horas de treinamento das equipes para sua produção. O processo também envolveu 70 fornecedores, incluindo aqueles que atendem o grupo na Europa. Para acompanhar, os investimentos na fábrica deram ao complexo industrial de Porto Real novos conceitos de manufatura digital e indústria 4.0.

“Nos últimos quatro anos, o grupo PSA fez todas as transformações para que Porto Real seja uma fábrica excelente”, acrescenta o vice-presidente sênior de processos monozukuri na América Latina, Jeam Mouro. “Monozukuri significa fazer bem as coisas e isso só é possível quando unimos as pessoas buscando melhor qualidade com custo menor. Porto Real já está hoje no top cinco das plantas da PSA no mundo e o Cactus marca uma ruptura de desenvolvimento da PSA na América Latina.”

TRANSFORMAÇÕES




A fábrica passou por várias mudanças durante o período em que se preparou para começar a montar o Cactus. Entre elas, a chaparia (estamparia), que antes funcionava em duas linhas distintas em cada uma fazia os modelos de forma dividida, agora funciona de forma unificada: agora todos os cinco modelos são produzidos, incluindo o Cactus, e está pronta para receber o próximo.

Na pintura, pela primeira desde que começou a operar, em 2001, a fábrica de Porto Real passa a contar com o processo denominado biton, que aplica duas cores ao mesmo tempo. A montagem ganhou o processo full kitting, no qual itens pré-montados de peças preparadas nas áreas chamadas zonas de kitting abastecem as células de montagem por meio de um carrinho que vai até o montador.

“Com esse novo sistema, a peça já vem cadenciada e certa para aquele modelo que está sendo montado, evitando deslocamentos desnecessários e erros”, indica o diretor do polo industrial Brasil, Eduardo Chaves. “São dois síncronos: o curto e o longo. No curto, ele colhe peças que vêm de um fornecedor próximo e no longo traz peças de fornecedores de outros estados”, explica Chaves.

Além destas melhorias, o executivo lembra dos investimentos na fábrica de motores, sendo R$ 43 milhões na nova linha de produção de virabrequins, além de outros R$ 13 milhões na expansão da capacidade da unidade de powertrain.

O CITROËN SUV COMPACTO




A PSA preferiu guardar segredo sobre alguns aspectos do C4 Cactus. A empresa não confirmou quantas versões terá o modelo, nem sua faixa de preço ou mesmo outros detalhes, como variações de motorização, embora os veículos de demonstração à imprensa estivessem equipados com o motor 1.6 THP flex e com câmbio automático de seis velocidades. Tudo isso deve ser divulgado no fim de agosto, quando está prevista a apresentação do modelo.

O que se sabe é o que o modelo traz design arrojado e bem definido, com opção de duas cores combinadas no veículo no estilo moderno caracterizado pelos SUVs. Entretanto, a Citroën adiantou parte do que será visto no Cactus a partir de setembro da rede de concessionárias da marca. No quesito tecnologia, ele traz um pacote bastante completo de itens de assistência de condução, algumas delas caracterizadas como tecnologias semiautônomas, mas ainda não há informações sobre o que será de série e o que será opcional.

Entre os itens, o active safety brake, que emite alertas de emergência ao motorista e também capaz de frear sozinho em caso de iminência de colisão com outro veículo ou mesmo com pedestre. Também será oferecido alerta de saída de faixa e alerta de atenção do condutor entre outros, no total de doze itens.

No quesito conforto, a Citroën destaca a suspensão, o amplo espaço interno e o entre eixo de 2.600 mm, dez a mais que Hyundai Creta e dez a menos que o Honda HR-V. A plataforma do Cactus é a modular PF1, a mesma utilizada para os modelos Peugeot 2008, 3008 e o Citroën C3, inclusive na Europa.

Além disso, bancos amplos e painel 100% digital equipam os modelos apresentados à imprensa durante a cerimônia de início de produção.







Tags: PSA, Grupo PSA, Citroën, C4, Cactus, fábrica, produção, Porto Real, investimento.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência