Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Vendas perdem ritmo de crescimento em junho

Mercado | 02/07/2018 | 19h11

Vendas perdem ritmo de crescimento em junho

Emplacamento mensal de veículos leves fica igual a maio e reduz passo da recuperação sobre ano passado

PEDRO KUTNEY, AB

Ainda sob o impacto da paralisação dos caminhoneiros entre fim de maio e começo de junho, as vendas de veículos leves andaram de lado no mês passado, o que reduziu o passo da recuperação sobre o ano passado.

Segundo dados de emplacamentos antecipados por fontes de mercado na segunda-feira, 2, foram licenciados 195.095 automóveis e comerciais leves zero-quilômetro em junho, somente 73 unidades a mais do que em maio, resultando em crescimento porcentual marginal de 0,09%, e de apenas 3,1% sobre o mesmo mês de 2017.

O resultado puxou para baixo o ritmo de crescimento das vendas de veículos que vinha sendo observado desde o início do ano, mas ainda assim foi superada a barreira de 1 milhão de emplacamentos antes do que ocorreu em 2017. De janeiro a junho foram emplacados 1,13 milhão de automóveis de comerciais leves, número 13,7% superior ao do mesmo período do ano passado – porcentual bastante reduzido em relação à expansão de 20% registrada na comparação anual do primeiro quadrimestre.

AMEAÇAS NO HORIZONTE



A paralisação dos caminhoneiros, que fez parar a economia nacional, incluindo todas as linhas de produção e distribuição de veículos no País, explica boa parte do resultado de junho abaixo da média de meses anteriores. Mas especialistas avaliam que este não é o único fator negativo, o horizonte já mostra ameaças estruturais.

A greve de maio/junho trouxe reversão de expectativas e fez recuar a confiança do consumidor no crescimento econômico e na própria manutenção de seu emprego. A alta do dólar também contribui para essa reversão ao pressionar a inflação e os preços dos veículos – tanto importados quanto nacionais com boa quantidade de componentes estrangeiros.

Para reforçar o conjunto de fatores negativos, a Copa do Mundo desvia a atenção dos consumidores, que atrasam a compra do veículo ou canalizam recursos para outros bens, como TV ou mesmo uma viagem à Rússia para ver os jogos. Depois, muitos acabam desistindo do carro novo, porque as condições mudaram ou não têm mais dinheiro.

Julho, mês de férias escolares no País e continuação da Copa, também não promete ser muito melhor. Só a partir de agosto o pulso do mercado poderá ser medido de forma mais precisa, já sob efeito de outro fator que promete alimentar novas turbulências econômicas: as eleições de outubro, que têm potencial de sobra para desestabilizar a economia por ainda mais tempo.

O cenário incerto e um tanto quanto negativo coloca em risco as projeções de vendas de veículos este ano no País, estimadas pelos fabricantes em 2,4 milhões de automóveis e comerciais leves. Nesta terça-feira, 3, a Fenabrave, associação que reúne os concessionários, irá divulgar os números de mercado e revisar suas previsões – provavelmente para baixo –, que ao fim do primeiro trimestre estimavam 2,5 milhões de unidades.



Tags: Mercado, vendas, veículos leves, automóveis e comerciais leves, balanço junho 2018, emplacamentos junho 2018, Renavam.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência