Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Internacional | 22/06/2018 | 20h44

Presidente dos EUA ameaça sobretaxar veículos europeus em 20%

Há um mês administração de Trump iniciou estudo sobre elevar imposto

REDAÇÃO AB

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou impor uma tarifa de 20% sobre todos os veículos leves importados da União Europeia para o mercado norte-americano. A ameaça, feita na sexta-feira, 22, por meio de uma postagem do presidente no Twitter, vem um mês depois que a administração norte-americana iniciou uma investigação sobre a imposição de uma tarifa global de 25% para todas as importações de automóveis e autopeças sob a premissa de que elas podem representar risco à segurança nacional.

“Se essas tarifas e barreiras não forem quebradas e removidas em breve, estaremos colocando uma tarifa de 20% em todos os carros que entrarem nos EUA. Construa-os aqui!”, diz Trump em sua postagem.

Não é claro se tal ameaça ao ser executada violaria as regras da Organização Mundial do Comércio. “Embora entendamos que a administração está trabalhando para alcançar condições equitativas, as tarifas não são a abordagem correta”, respondeu em comunicado a Alliance of Automobile Manufacturers, grupo comercial que representa as fabricantes que operam nos EUA. “As tarifas aumentam os preços de veículos para nossos clientes, limitam a escolha do consumidor e convidam ações de retaliação de nossos parceiros comerciais. Os fabricantes de automóveis apoiam a redução das barreiras comerciais e garantem justiça ao facilitá-las em vez de inibir o comércio.”

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos pretende encerrar sua investigação sobre se as importações de automóveis e autopeças representam um risco para a segurança nacional até o fim de julho ou agosto, disse o secretário do comércio, Wilbur Ross, na quinta-feira, 21. O órgão planeja realizar dois dias de comentários públicos em julho sobre sua investigação.

Em maio, o presidente Trump já havia mencionado às montadoras em uma reunião na Casa Branca que estava planejando impor tarifas sobre alguns veículos importados.

Por diversas vezes Trump teria destacado as importações de automóveis alemães para os Estados Unidos. Em 2017, o país representou cerca de 15% das vendas mundiais da Mercedes-Benz e BMW, além de ter sido responsável por 5% das vendas da VW e de 12% das vendas da Audi. As montadoras alemãs não comentaram o tweet de Trump. A VDA, associação que reúne as fabricantes de veículos na Alemanha, informou que o país exportou 657 mil carros para a América do Norte neste ano, 7% abaixo de mesmo período do ano passado. Também em 2017, as montadoras alemãs produziram 804 mil veículos nos Estados Unidos. Um levantamento da agência de notícias Automotive News mostra que de todos os veículos vendidos nos Estados Unidos, 7,2% foram montados na Europa.

Não é a primeira vez que Trump volta suas atenções para carros importados: também ameaçou com impostos de até US$ 450 bilhões os veículos montados na China. Autoridades de seu governo disseram que a China deve fortalecer a proteção da propriedade intelectual das empresas norte-americanas e reduzir as tarifas dos produtos norte-americanos. No entanto, a medida contra o maior mercado de veículos do mundo pode, além de elevar os preços para os consumidores, atingir as cadeias globais de fornecimento.

As políticas comerciais de Trump também aumentaram o conflito com o Canadá e o México, à medida que ele busca renegociar o acordo de livre comércio norte-americano de US$ 1,1 trilhão em termos mais favoráveis a Washington.

A Câmara de Comércio dos EUA observou que a produção americana de automóveis dobrou na última década e disse que as tarifas “trariam um tremendo golpe à própria indústria que ela pretende proteger ameaçando iniciar uma guerra comercial global”.

Um analista da Evercore ISI, com sede em Londres, estima que os fabricantes alemães sofrerão um impacto financeiro de cerca de € 4,5 bilhões (US $ 5,24 bilhões) se Trump seguir adiante em sua ameaça. “Uma tarifa de 20% seria um cenário terrível para a Alemanha”, disse o analista Arndt Ellinghorst em um comunicado. “Nem um único carro poderia ser enviado com lucro para os EUA”, completou.

A proposta atual de Trump é de fato menor do que os 25% anteriormente lançados por ele, em 31 de maio. Nessas proporções, a taxa adicionaria cerca de € 10 mil ou US$ 11,6 mil ao preço de um carro europeu, informou a Comissão Europeia em um relatório obtido pela Bloomberg News, preparado antes da cúpula da próxima semana sobre a avaliação de ameaças tarifárias. Neste nível, as importações nos Estados Unidos reduziriam pela metade.

Uma comissão de defesa da VDA pediu negociações contínuas com os EUA, dizendo que qualquer nova escalada do conflito comercial “não tem utilidade para ninguém”. Por sua vez, a União Europeia está preocupada que as tarifas dos EUA causem “graves perturbações” ao bloco e à sua indústria automobilística. Uma tarifa dos EUA sobre as importações de carros “colocaria em questão o modelo de produção global em um momento em que os esforços deveriam ser dedicados ao desenvolvimento de veículos elétricos”, afirmou a comissão da VDA em um comunicado. “Desnecessário dizer que medidas protecionistas desse tipo também não ajudarão os fabricantes de veículos nos EUA.”



Tags: Estados Unidos, taxa, importados, Donald Trump, Europa, VDA, tarifas.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência