Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Venda de motos recua apenas 1,1% em maio

Mercado | 04/06/2018 | 17h20

Venda de motos recua apenas 1,1% em maio

No acumulado do ano, setor de duas rodas anota alta próxima a 8%

MÁRIO CURCIO, AB

A greve dos caminhoneiros comprometeu os números do fim de maio, mas ainda assim o setor de motos registrou 81,3 mil unidades emplacadas, o segundo melhor resultado do ano. Na comparação com abril houve pequena queda de 1,1%. A média diária de emplacamentos do mês foi de 3,9 mil unidades, após o pico anual de 4,1 mil anotado em abril.

No acumulado do ano o setor teve 382,8 mil unidades licenciadas e registrou alta de 7,7% sobre os mesmos cinco meses do ano passado. Os números foram divulgados pela Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionários.



- Faça aqui o download dos dados da Fenabrave
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência



O crescimento do setor foi puxado pelas duas marcas mais vendidas. A Honda sozinha anotou 304,6 mil unidades nestes cinco meses e cresceu 9,5% sobre igual período de 2017. Sua participação de mercado voltou a encostar nos 80%.

Da Yamaha foram registrados 51,1 mil emplacamentos e alta de 9,6%. Entre as marcas com tradição em alta cilindrada, o melhor desempenho foi da Triumph, que teve 1,8 mil motos emplacadas no período e cresceu 16,4% sobre iguais meses do ano passado.

E a BMW, que passou a atuar também no segmento de baixa cilindrada em 2017, começa a colher os resultados disso: com mais de 3 mil motos no acumulado do ano, cresceu 25,4% no período. Já os fabricantes com tradição em ciclomotores enfrentam uma situação bem difícil. A Shineray teve pouco mais de 4 mil unidades emplacadas durante o ano e registra queda de 42,5% ante igual período de 2017.

A Traxx não chegou a 1,1 mil motos emplacadas e recuou 61,5%. Difícil também é o cenário para a brasileira Dafra, cujos emplacamentos no acumulado do ano (1,7 mil) estão 46,7% abaixo dos registrados na comparação interanual.

A Suzuki recuou 36,2% no acumulado do ano ao vender 2,2 mil motos apenas. Mas sua rede de concessionárias passou a contar no primeiro semestre do ano passado com scooters Kymco e produtos de baixa cilindrada (motos, scooters e motonetas) da Haojue.

Juntas, essas duas marcas já anotaram 4,4 mil unidades no acumulado de 2018, mais que o dobro dos modelos da própria Suzuki. A soma das três marcas (Haojue, Kymco e Suzuki) coloca a J.Toledo no terceiro lugar.



Tags: Motos, emplacamentos, Fenabrave, greve dos caminhoneiros, Honda, Yamaha, Shineray, Suzuki, BMW, Haojue, Kymco, Traxx, Triumph, BMW.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência