Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Mercedes-Benz reconhece resistência dos fornecedores
Schiemer: volta do crescimento com fornecedores mais fortes

Autopeças | 10/04/2018 | 18h31

Mercedes-Benz reconhece resistência dos fornecedores

Prêmio Interação destacou melhores práticas de 13 empresas em 2017, oito delas são nacionais

PEDRO KUTNEY, AB

Nos últimos anos, a Mercedes-Benz vinha pedindo resistência e reinvenção aos seus fornecedores diante da profunda recessão que se abateu sobre a indústria nacional de caminhões, que chegou a operar com 80% de ociosidade. Parece que foi atendida.

Na 26ª edição do Prêmio Interação a fabricante de veículos comerciais reconheceu e comemorou a resiliência de sua cadeia de suprimentos. Na noite da segunda-feira, 9, a Mercedes premiou as 13 melhores empresas fornecedoras em 2017 nas categorias de qualidade, logística e custos, mas a maior vitória foi o fato de quase todas as 400 terem conseguido sobreviver ao período difícil, com fortes movimentos de reestruturação, podendo agora aproveitar a volta do crescimento no setor, conforme enfatizou o presidente da Mercedes-Benz do Brasil, Philipp Schiemer, em sua mensagem aos fornecedores durante a cerimônia de premiação.

“Estamos mais otimistas. A economia dá sinais de vida e isso nos anima. Tenho certeza que vocês, responsáveis pelo abastecimento da indústria, estão sentindo essa mesma sensação. Faço questão de parabenizar cada um que também passou pela crise e agora começa a sair dela muito mais forte. O Prêmio Interação é uma homenagem a essas boas práticas”, resumiu Schiemer.



O executivo também aproveitou para preparar os parceiros para expansão dos negócios em 2018 potencialmente maior do que a esperada: “Se no início do ano esperávamos por crescimento (do mercado brasileiro de caminhões) de 20% (sobre 2017), agora já projetamos 30% se nada de especial acontecer”, afirmou. Mas Schiemer alertou que, embora o porcentual pareça muito alto, é fruto de base de comparação extremamente baixa, de um mercado anêmico, em torno de 50 mil caminhões vendidos, contra quase 170 mil no pico de 2011. O movimento melhorou, mas as fábricas de veículos comerciais ainda operam com elevada ociosidade, cerca de 70%, e têm muito espaço para avançar.

“A recuperação ainda é lenta, não acontece em todos os setores. Não é verdade que a economia se descolou da política. O que aconteceu é o controle da inflação e juros baixos que encontraram demanda reprimida. As boas notícias mudaram o humor do mercado, que volta a crescer”, ponderou Schiemer. “O que precisamos agora é uma visão de longo prazo, sem isso a indústria não sobrevive. Independentemente de quem for o novo governo, é necessário manter o crescimento com reformas”, defendeu.

EFICIÊNCIA PÓS-CRISE




Berbetz: sem problemas de fornecimento, ainda

Erodes Berbetz, diretor de compras da Mercedes-Benz do Brasil, admite que “os fornecedores sofrem mais para voltar a crescer muito rápido” depois de todos os cortes que foram obrigados a fazer com a retração expressiva no faturamento. Mas ele pondera que a maior parte dos parceiros conseguiu fazer reestruturações e está mais eficiente agora do que antes da crise.

Destaques desse grupo são os fornecedores de capital nacional, que não têm o caixa da matriz no exterior para recorrer, mas sobreviveram e conseguiram melhorar processos e qualidade, segundo o diretor de compras. Das 13 empresas que levaram troféus nesta edição do Prêmio Interação, oito são brasileiras.

“É preciso coroar a resiliência dos fornecedores nacionais, que melhoraram muito nesse período de profunda crise, mudaram processos e estão mais fortes e flexíveis”, afirma Berbetz.



“O estresse do crescimento (com falta de peças) costuma ser tão grande quanto na época de redução da produção. Estamos monitorando os fornecedores, não perdemos nenhum, muitos adotaram ações para aumentar a eficiência, estão mais enxutos. Não há gargalos no momento, existem algumas dificuldades de reação, mas são situações pontuais”, conta Berbetz.

Entre as situações pontuais, o diretor destacou o segmento de caminhões pesados, que está crescendo bastante mais rápido que os demais. A linha do extrapesado Actros da Mercedes em Juiz de Fora (MG), montava cinco unidades por dia no ano passado e agora faz 18. Berbetz reconhece que o aumento súbito de velocidade pode ocasionar eventuais atrasos em entregas de componentes. “Mas não tivemos nenhum grande problema até o momento”, garantiu.

Um fator que contribui para aumentar a eficiência das compras e dos fornecedores é a chegada da indústria 4.0 na Mercedes-Benz do Brasil, que recentemente inaugurou em São Bernardo do Campo (SP) a primeira linha de montagem de caminhões completamente digitalizada e conectada do País, com investimento de R$ 500 milhões (leia aqui), e já está em curso novo programa de R$ 2,4 bilhões até 2022 para digitalizar todas as operações e desenvolver novos produtos.

“Os dados gerados em tempo real dão maior previsibilidade e agilidade para nós e a cadeia de produção. Isso aumenta nossa eficiência e a dos fornecedores também, podemos trabalhar com maior velocidade nos pedidos e redução de custos”, afirma Berbetz. Como exemplo prático, ele cita que a nova linha em São Bernardo reduziu o número de armazéns de componentes de 53 para seis hubs logísticos integrados à produção. “Muitas peças já seguem diretamente para os pontos de abastecimento na linha de montagem”, destaca.

O executivo também lembrou que o novo conceito de produção já gerou novos negócios na cadeia de suprimentos da Mercedes, porque já foram repassadas a fornecedores algumas operações que antes eram executadas dentro da fábrica, como usinagem de componentes e pré-montagem de conjuntos. “Assim a empresa concentra sua atenção no negócio principal que é fabricar veículos.”

26º PRÊMIO INTERAÇÃO



Os melhores fornecedores da Mercedes-Benz do Brasil em 2017

MATERIAIS DIRETOS

Excelência Operacional em Qualidade
- Metalac SPS Indústria e Comércio Ltda.
- Resfri Ar Climatizadores e Equipamentos Ltda.
- Cinpal – Cia. Industrial de Peças para Automóveis.

Excelência Operacional em Logística
- Durametal Ltda.
- Metalpart Indústria e Comércio Ltda.
- Haldex do Brasil Indústria e Comércio Ltda.

Excelência em Custos
- Metalkraft S.A. Sistemas Automotivos
- S Riko Automotive Hose Tecalon Brasil S.A.
- Próturbo Usinagem de Precisão Ltda.

Categoria Especial
- Moura Baterias Automotivas e Industriais Ltda.

MATERIAIS INDIRETOS E SERVIÇOS

Excelência Operacional
- Dürr Brasil Ltda.

Excelência Comercial
- Engemetal Construções e Montagens Ltda.

Categoria Especial
- T-Systems do Brasil Ltda.

8º PRÊMIO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

- Sociedade Michelin de Partic. Ind. Com. Ltda.
- Schulz S.A.
- Vallourec Soluções Tubulares do Brasil S.A.

Tags: Mercedes-Benz, 26º Prêmio Interação, fornecedores, autopeças, serviços, indústria, cadeia de suprimentos.


Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
AB Inteligência