Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Randon reverte prejuízo e lucra R$ 46,7 milhões em 2017

Balanço | 14/03/2018 | 15h59

Randon reverte prejuízo e lucra R$ 46,7 milhões em 2017

Cenário mais positivo do mercado e ações internas melhoram o desempenho

REDAÇÃO AB

Após dois anos de prejuízo, o grupo Randon volta a registrar lucro líquido: em 2017, a empresa anotou ganhos de R$ 46,7 milhões contra perdas de R$ 67,2 milhões no ano anterior, com margem líquida de 1,6%, informa em comunicado divulgado na quarta-feira, 14. A recuperação, considerada moderada pela companhia, está refletida nos principais os índices de seu balanço financeiro: a receita líquida cresceu 11,9%, ao alcançar cifra de R$ 2,9 bilhões, enquanto o Ebitda mais que dobrou de um ano para outro, passando de R$ 142,7 milhões em 2016 (5,4% da receita líquida) para R$ 308,2 milhões em 2017, representando 10,5% da receita.

Segundo a empresa, o desempenho é resultado de uma combinação de fatores, desde o novo cenário macroeconômica mais positivo que se desenhou em meados do ano passado e persistiu até o fim do período aliado às ações internas que vinham sendo feitas desde o início da crise, o que envolveu melhorias de processos, controle de despesas e dos investimentos, lançamento de novos produtos, fortalecimento dos canais de venda e redução de custos fixos.

Para o diretor presidente das Empresas Randon, David Abramo Randon, embora os números ainda estejam distantes dos apresentados em anos anteriores à crise, voltar ao lucro traz uma percepção de confiança de que as decisões tomadas e as mudanças por elas implementadas estão dando resultado efetivo, cuja tendência é de que sejam ampliados neste e nos próximos anos.

“Há esperança, mesmo que cautelosa, de que o País volte a crescer após quase três anos praticamente estagnado. Avizinha-se, de maneira mais nítida, uma recuperação, ainda que moderada, para devolver maior dignidade aos brasileiros e a suas famílias”, observa o presidente das Empresas Randon.



Entre as unidades de negócio do grupo, a divisão montadoras representou 43,4% da receita líquida ao somar R$ 1,3 bilhão, dos quais 77,7% vindos com a venda de semirreboques, 18,2% em vagões e 4,2% em veículos especiais (retroescavadeiras, minicarregadeiras e caminhões fora-de-estrada). A divisão de autopeças respondeu por 51,5% da receita, com R$ 1,5 bilhão, graças ao bom desempenho de todas as marcas, especialmente da Fras-le. Por sua vez, a divisão de serviços financeiros, que inclui a Randon Consórcios e o Banco Randon responderam por 5,1% da receita líquida.

Já as exportações totalizaram US$ 155,4 milhões em 2017, resultado 2,5% maior que o apurado no ano anterior. Deste total, 46,3% das exportações foram destinadas aos mercados do Mercosul e Chile, enquanto 32,6% foram para o bloco Nafta (América do Norte). AS unidades que a Randon mantém no exterior faturaram 15,7% a mais em 2017, para um total de US$ 84,3 milhões, eliminando a receita das empresas. A planta de veículos rebocados na Argentina apurou receita bruta de US$ 31 milhões. As plantas da Fras-le consolidaram receita bruta de US$ 53,3 milhões, alta de 11,7% no comparativo anual. O total da soma entre as exportações e as receitas geradas no exterior ficou em US$ 239,7 milhões no ano passado, aumento de 6,8% sobre o exercício anterior.



Tags: Randon, balanço, lucro, receita, crise, prejuízo, exportações, David Abramo Randon.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência