Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Novos SUVs mudam o rumo do segmento

Mercado | 05/03/2018 | 16h15

Novos SUVs mudam o rumo do segmento

Importados e veteranos perdem espaço no mercado; FCA e Honda acertam a mão e avançam

MÁRIO CURCIO, AB

A maior oferta de SUVs mudou bastante o cenário do segmento nos anos mais recentes, como mostra a comparação dos primeiros bimestres de 2015 para cá. No começo daquele ano havia quatro modelos importados entre os dez primeiros colocados: Chevrolet Tracker (6º), Kia Sportage (7º), Toyota Hilux SW4 (8º) e Toyota RAV4 (10º). Neste começo de 2018 o único forasteiro entre os dez mais é o mexicano Tracker.

Outro efeito foi a troca de liderança. O Ford EcoSport não resistiu à pressão. Do topo que ocupava no início de 2015, caiu para o terceiro lugar no começo de 2016 e para o sexto em 2017. A permanência na sexta colocação em 2018 mostra que o facelift na metade do ano passado não foi suficiente para combater a concorrência. Em volume de vendas o modelo revela queda de 31,9% na comparação entre o primeiro bimestre de 2015 e o de 2018. O lançamento recente da versão Storm 4x4 (leia aqui) deve ajudar o Ford a manter, mas não recuperar posições.

A análise de igual período mostra que o veterano Duster caiu do segundo para o décimo lugar. Em nono está outro Renault, o Captur. E a venda dos dois juntos (4,7 mil carros) é inferior ao que o Duster fez sozinho no começo de 2015.

O período mostra a decisão acertada do Grupo FCA com a nacionalização do Jeep Compass. Mais do que a liderança entre os SUVs com esse produto, a soma com o Renegade leva a 13 mil unidades somente neste primeiro bimestre. Nos dois primeiros meses de 2015 a Jeep somava menos de 700 veículos emplacados porque dependia dos importados, inclusive do antigo Compass.

Também acertou a Honda. Com o HR-V ela liderou o segmento de SUVs nos resultados anuais (janeiro a dezembro) em 2015 e 2016 e fechou o ano passado pouco atrás do Compass. O carro inicia 2018 em segundo lugar, mas a Honda conta agora com a ajuda do WR-V. Pouco menor, mas montado sobre a mesma plataforma do HR-V, o modelo foi lançado em abril do ano passado e ocupa atualmente a oitava posição. Juntos eles tiveram 10,6 mil unidades emplacadas no primeiro bimestre.

A nacionalização e aumento da oferta de versões fizeram bem ao Nissan Kicks. Ele chegou às concessionárias em agosto de 2016 importado do México e no início de 2017 ainda estava restrito a opções importadas, sempre automáticas, completas e vendidas por cerca de R$ 90 mil. Com a nacionalização em abril do ano passado e a chegada de uma opção com câmbio manual em maio (veja aqui) o Kicks aparece agora em terceiro lugar.

O aumento da oferta de modelos também atrapalhou os veteranos Hyundai Tucson e ix35, que no primeiro bimestre de 2015 apareciam em terceiro e quarto lugares. Neste início de 2018 o ix35 está na 11ª posição, com 1.364 unidades licenciadas, e o Tucson na 17ª, com 761 emplacamentos. Os dois são produzidos pela Caoa Montadora em Anápolis (GO). Por outro lado, o modelo Creta, fabricado pela própria Hyundai em Piracicaba (SP), ocupa o quarto lugar.



Tags: SUVs, Chevrolet, Tracker, Kia, Sportage, Toyota, RAV4, Ford, EcoSport, Renault, Duster, Storm, Captur, Tucson, ix35, Jeep, Compass, Renegade, Honda, HR-V, WR-V, Nissan, Kicks, Caoa.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência