Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Toyota desenvolve transmissão CVT com engrenagens e novos motores 2.0
Novo powertrain da Toyota: câmbio CVT-DSG, motor 2.0 e câmbio manual de seis marchas

Powertrain | 26/02/2018 | 20h30

Toyota desenvolve transmissão CVT com engrenagens e novos motores 2.0

Serão usados nos carros que adotam a plataforma global TNGA

REDAÇÃO AB

A Toyota informa que começou a desenvolver uma inovadora transmissão CVT com engrenagens de partida e novos motores 2.0 mais eficientes, a serem usados em sua plataforma modular global TNGA (do inglês Nova Arquitetura Global Toyota), que até o fim de 2023 pretende adotar em cerca de 80% de seus veículos convencionais ou híbridos Toyota e Lexus. A TNGA foi lançada em 2015 e aplicada primeiro na quarta geração do híbrido Prius, o SUV compacto C-HR já nasceu sobre ela e já é adotada pelos sedãs Camry e Avalon, ainda este ano será também no novo Corolla.

A nova transmissão CVT-DSG em desenvolvimento pela Toyota combina a suavidade da transmissão continuamente variável (CVT), acionada por duas polias de diâmetro variável e uma correia de aço, com o torque das caixas de câmbio automáticas de dupla embreagem, com a introdução de engrenagens de partida, para reduzir perdas mecânicas e aumentar a eficiência em baixas velocidades. Ao dar a partida após uma parada completa, o sistema utiliza as engrenagens para assegurar maior potência, o que soluciona a sensação de lentidão dos veículos equipados com CVT. Depois que o carro ganha impulso, a energia do motor passa a ser transmitida por meio da correia, agora com relações mais altas.

Segundo a Toyota, a nova CVT-DSG permite o uso de correia e polias menores, garante trocas de marchas 20% mais rápidas e com economia de combustível de 6% em comparação com a transmissão existente.

Paralelamente, a Toyota também desenvolve uma nova transmissão manual de seis velocidades 6MT para a TNGA, em resposta às crescentes demandas em mercados específicos. Comparada à versão existente, a massa (volume) total da nova caixa de câmbio foi reduzida em 7 kg e o comprimento em 24 milímetros. A fabricante japonesa garante que será uma das menores transmissões do mundo, contribuindo para redução de peso e consequente economia de combustível. Agregada ao sistema iMT (sigla em inglês para Transmissão Manual Inteligente), as rotações do motor são ajustadas automaticamente nas trocas de marcha, evitando trancos.

NOVA GERAÇÃO DE MOTORES 2.0


A Toyota chama de “novo Motor de Força Dinâmica” o modelo de 2-litros com injeção direta de gasolina que está desenvolvendo para uso na TNGA, tanto para veículos elétricos híbridos como para carros convencionais. A fabricante informa que a adoção de tecnologias de combustão de alta velocidade e um sistema de controle variável de válvulas garantem mais potência e torque, ao mesmo tempo em que foram reduzidas as perdas de energia relacionadas aos sistemas de resfriamento e escape e ao atrito de peças mecânicas. Com isso, os novos propulsores terão eficiência térmica de 40% – usualmente os motores a gasolina transmitem à propulsão das rodas de 30% a 35% da energia gerada pela combustão.

O Sistema Híbrido da Toyota (THS II) acoplado ao novo motor 2.0 deve aumentar ainda mais a eficiência de combustível dos novos modelos híbridos-elétricos da marca. Na aceleração, o sistema reduz as rotações do motor a combustão enquanto extrai maior energia elétrica da bateria.

Também com o objetivo de melhorar a eficiência energética e o desempenho fora-de-estrada, estão em desenvolvimento dois novos sistemas de tração integral 4x4. Um deles é o novo sistema de Vetorização Dinâmica do Torque, aplicado a veículos com motor a gasolina. O mecanismo distribui o torque independentemente às rodas traseiras conforme as condições de condução, para manter alta performance mesmo em estradas mais severas. Quando a tração integral não é necessária, o sistema desconecta duas rodas da transmissão para privilegiar economia de combustível.

Para seus veículos híbridos, a Toyota desenvolve a tração elétrica E-Four, que aumenta em 30% o torque total das rodas traseiras, quando comparado às versões atuais.

A nova transmissão CVT e a manual de seis marchas, e os dois novos motores 2.0, para modelos híbridos e convencionais, representam quatro componentes dos sistemas de powertrain planejados para a plataforma TNGA, que prevê até o fim de 2021 a introdução de 17 versões de nove motores, 10 versões de quatro transmissões e 10 versões de seis transmissões de sistemas híbridos. A Toyota estima que as unidades de propulsão usadas na TNGA aumentarão a eficiência energética de seus carros para reduzir as emissões de CO2 em mais de 18%.



Tags: Toyota, transmissão CVT, motor 2.0, híbridos, pesquisa e desenvolvimento, inovação, tecnologia.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência