Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Autônomos Waymo já podem levar passageiros

Tecnologia | 20/02/2018 | 16h30

Autônomos Waymo já podem levar passageiros

Empresa obteve permissão de autoridades no Estado do Arizona

REDAÇÃO AB

A Waymo, divisão de carros autônomos da Alphabet (que controla o Google), recebeu permissão das autoridades do Arizona (Estados Unidos) como a primeira empresa de transportes a fazer viagens comerciais naquele Estado usando veículos autônomos.

O aval garante à Waymo o direito de usar suas minivans Chrysler Pacifica autônomas no modelo de transporte por aplicativo. Em 2017 a companhia realizou testes gratuitos no Arizona em percursos que se limitavam a uma área de 160 quilômetros quadrados.

A Waymo também está rodando com autônomos em outras regiões a fim de expandir sua atuação. De acordo com um porta-voz da empresa, há testes em Phoenix e arredores para o lançamento comercial do aplicativo sem motorista ainda este ano.

A entrega de objetos e documentos também faz parte dos planos da companhia. Hoje considerada líder no mercado de carros autônomos, a Waymo livrou-se de uma pendência judicial no início deste mês ao entrar em acordo com o Uber (veja aqui). A sentença obriga a concorrente a pagar US$ 244 milhões à Waymo pelo roubo de segredos industriais ligados ao desenvolvimento de veículos autônomos.



Tags: Waymo, Alphabet, Google, autônomos, Chrysler, Pacifica, Uber.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência