Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Mercedes-Benz começa ano acelerado e projeta crescimento

Comerciais | 05/02/2018 | 20h00

Mercedes-Benz começa ano acelerado e projeta crescimento

Em dois meses, empresa fecha vendas de 6,2 mil veículos para entrega

PEDRO KUTNEY, AB

Após fechar vendas 6,2 mil veículos nos últimos dois meses, o ano começou acelerado na Mercedes-Benz e o clima mudou, bem diferente dos últimos quatro anos de profunda recessão. Agora todas as projeções apontam pata a volta de crescimento. Roberto Leoncini, vice-presidente de vendas e marketing da empresa, aposta em expansão de 30% nas compras de caminhões no Brasil, e de 15% para os ônibus.

“Há muito tempo não tínhamos um janeiro como este. No ano passado o desafio era encontrar clientes. Agora, se a economia continuar a se recuperar no ritmo atual, este ano o desafio vai ser atender todos os pedidos”, afirma Leoncini.



As renovações de algumas grandes frotas estão ajudando significativamente as vendas de caminhões da Mercedes-Benz. Foram fechados 250 negócios em dezembro e 823 em janeiro, totalizando 1.073 nos dois meses. O maior comprador foi o Grupo Raízen, dono da marca Shell no País, que sozinho foi responsável por mais da metade dos contratos nesses 60 dias, com a aquisição de extrapesados, 233 Axor para ajuda na colheita de cana e 300 Actros para o transporte de combustíveis. “Fechamos vendas importantes que garantem entregas nos próximos meses. Mas existem muitas outras conversas em andamento que devem abrir novas oportunidades este ano”, diz Leoncini.

O executivo destaca que a oferta de serviços e crédito tem feito diferença na hora de fechar os contratos. “Mapeamos a situação de muitos clientes e hoje podemos oferecer pacotes que facilitam os negócios, como modelos diferentes de financiamento de acordo com a necessidade de cada um”, afirma. Segundo Leoncini, as mudanças do Finame, principal instrumento para financiar a aquisição de caminhões no País, com a aplicação da TLP (taxa variável de longo prazo) sobre as parcelas, tem causado muita confusão no mercado, “mas depois que o comprador entende continua a ser competitivo, embora daqui por diante outras modalidades vão ganhar mais espaço, como CDC com juros fixos, leasing e consórcio”, avalia.

Para este ano, a expectativa é que boa parte do crescimento das vendas de caminhões venha, mais uma vez, do agronegócio. “É a grande frente de expansão, mas também já percebemos aumento de pedidos no setor de logística, como carga industrial, que vem do reaquecimento da economia e da produção, como a nossa própria aqui”, lembra Leoncini.



ÔNIBUS EM ALTA



De todas as vendas da Mercedes-Benz na virada de 2017 para 2018, a grande maioria foi de chassis de ônibus: foram perto 2 mil unidades por mês, com 1.905 em dezembro e 2.080 em janeiro, no total de 3.985. A maior venda foi para o programa Caminho da Escola do governo federal, que compra veículos escolares para diversos municípios brasileiros. Na última licitação, a Mercedes venceu a concorrência para entregar 1,6 mil micro-ônibus ao longo de 2018.



Para aplicações de transporte urbano, a fabricante tem já contratos fechados para entregar 480 chassis, sendo 300 para cidades do Estado de São Paulo e 180 para Recife, capital de Pernambuco. “Existem outras negociações em curso que devem se confirmar ao longo do ano. Esperamos por renovações de diversas frotas municipais no País e projetamos em 2018crescimento em todos os segmentos, urbano, rodoviário e escolar”, diz Leoncini.

O reaquecimento da divisão de ônibus começou em dezembro com dois grandes negócios: o fechamento da venda de mil chassis rodoviários e urbanos para o Grupo Constantino, além de 905 micro-ônibus para a Secretaria de Saúde de Minas Gerais.

LINHA SPRINTER LIDERA MERCADO





Em 2017 a Mercedes-Benz comemorou, após 10 anos, a retomada da liderança do mercado de comerciais leves nos segmentos em que atua (vans de passageiro, furgões e caminhonetes chassi-cabine). Com 6.327 unidades emplacadas e crescimento de 31% sobre 2016, foi a única marca que obteve expansão das vendas no segmento, que como um todo caiu 5% ano passado.

Em dezembro e janeiro foram fechados novos contratos para entrega de 1.154 veículos comerciais leves Mercerdes-Benz nos próximos meses. “Este ano os números começaram bem positivos, com alta de 20% sobre janeiro do ano passado e participação de 39%”, conta Jefferson Ferrarez, diretor de vendas e marketing de vans. Para 2018, ele espera manter o market share de 55% nas vendas de vans grandes de passageiros, que garante a liderança da marca no segmento, e de 22% dos negócios de caminhonetes chassi-cabine, enquanto estima que pode crescer levemente de 32% para 34% a fatia das preferências pelos furgões de grande porte da Mercedes.

Entre os negócios recentes, ele destaca a venda de 579 vans Sprinter por licitação da Secretaria de Planejamento de Minas Gerais, além de 575 furgões que vão operar como ambulâncias do Samu – em outubro a marca já havia conquistado o fornecimento de 225 unidades para o Serviço de Atendimento Médico de Urgência, somando o total de 800 veículos a serem entregues em 2018.

Segundo Ferrarez, a alta das vendas da linha Sprinter é explicada em parte pela ausência da concorrência da Fiat Ducato em 2017, que volta a ser vendida este ano (leia aqui). “Sem o concorrente no mercado, os clientes procuraram por outras alternativas e nós ganhamos mais com isso”, explica o diretor. Ele garante que, mesmo com a chegada da nova Ducato a preços competitivos, não se pretende mexer na tabela da Sprinter. “Nossa estratégia é oferecer um produto com nível tecnológico mais alto, custos mais baixos e maior número de opções de modelos”, afirma.

PEÇAS E SERVIÇOS



A divisão de peças e serviços da Mercedes-Benz fechou 2017 com desempenho acima da média e perspectivas positivas para 2018. As vendas de componentes genuínos de reposição da marca, para veículos com até seis anos de idade, cresceram 21,4% em comparação com 2016. Mas a expansão mais expressiva, de 90%, foi para o selo Alliance Truck Parts, de peças multimarcas distribuídas pela Mercedes para diversos tipos de caminhões.

Também está em crescimento a oferta de serviços dedicados, em que as concessionárias enviam profissionais de reparação às garagens de grandes frotistas. “Foram 27 novas contratações em 2017, oito só para a Raízen”, conta Sílvio Renan, diretor de peças e serviços da Mercedes-Benz. Ele destaca ainda a venda de mil planos de manutenção com o sistema de rastreamento Fleerboard, sendo que 400 já incorporam o sistema de telediagnose (diagnóstico de defeitos à distância) lançado na última Fenatran, em outubro passado. “Já temos 600 Fleetboards com telediagnose que serão ativados no início deste ano em caminhões que vão carregar a próxima safra”, diz Renan.

Outro fator que impulsiona as vendas da divisão é o programa de fidelidade e prêmios lançado ano passado: para cada R$ 1 gasto em peças e serviços na rede Mercedes-Benz, o beneficiário acumula 1 ponto, que poderá ser trocado por descontos nas concessionárias. Segundo Renan, o aplicativo do programa já teve 30 mil downloads.



Tags: Mercedes-Benz, mercado, veículos comerciais, caminhões, ônibus, vans.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência