Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Volkswagen quer Virtus na liderança dos sedãs compactos

Lançamentos | 23/01/2018 | 12h00

Volkswagen quer Virtus na liderança dos sedãs compactos

Preços começam em R$ 60 mil e podem superar os R$ 85 mil com opcionais

PEDRO KUTNEY, AB

A Volkswagen já tinha apresentado no fim do ano passado as características técnicas e qualidades de seu novo sedã, o Virtus (leia aqui), faltava saber preços e ambições de mercado, divulgados agora com o lançamento oficial do modelo que começa a ser vendido na última semana deste mês. A três versões MSI 1.6, Confortline e Highline 200 TSI (estas duas equipadas com o motor três-cilindros 1.0 turbinado) vão custar, respectivamente, R$ 60 mil, R$ 73,5 mil e R$ 80 mil, mas a tabela supera os R$ 85 mil com a inclusão de opcionais. Com esses valores e uma boa oferta de espaço, conforto, eficiência e tecnologia, a fabricante espera liderar o segmento de sedãs compactos no País, o que significa atualmente vender mais de 2 mil unidades por mês, com a expectativa de que 80% das compras sejam das duas opções mais caras.

Apesar de o Virtus ter o mesmo tamanho de outro sedã Volkswagen, o Jetta, classificado como carro médio para os padrões brasileiros, os executivos da fabricante projetam pouca canibalização de modelos da própria marca – até porque o novo Jetta lançado este mês no Salão de Detroit é maior do que o atual e assim deve se diferenciar do irmão menor. Se essa visão estiver correta, o Virtus poderá acrescentar em torno de 25 mil unidades às vendas da VW este ano, o que poderia tornar a marca novamente vice-líder do mercado brasileiro, caso a Fiat não tenha melhor reação com o Cronos – embora pouco menor, concorrente direto do Virtus que chega às revendas em fevereiro.

FAIXA AMPLA



O Virtus trafega no Brasil na obscura categoria de sedãs compactos criada pela Fenabrave, a associação nacional dos concessionários, que ao classificar os veículos considera muito mais seus preços e motorização do que o tamanho. Por esse critério, sem opção de motorização 1.0 e com valores intermediários, o novo carro da Volkswagen está encaixado entre os sedãs pequenos e médios, junto com cinco outros modelos liderados até agora por ampla margem pelo Chevrolet Cobalt e Honda City. “Por suas características, o Virtus vai atravessar segmentos, deverá concorrer tanto com compactos como carros maiores como o (Toyota) Corolla, por exemplo”, avalia Pablo Di Si, presidente da Volkswagen do Brasil e América do Sul.

Isso quer dizer que o Virtus deverá atuar em faixa de mercado bem mais ampla do que sua própria categoria de sedãs compactos, que em 2017 representou apenas 2% das vendas de automóveis no Brasil, com 40,2 mil unidades emplacadas de seis modelos. Se juntar com sedãs pequenos e médios, o segmento aumenta consideravelmente para cerca de um quarto dos emplacamentos no País, considerando 470 mil no ano passado.

PROJETO BRASILEIRO



O Virtus é o segundo dos 20 lançamentos de veículos completamente novos (sem incluir versões) prometidos pela Volkswagen na América do Sul até 2020, mas é o primeiro carro desenvolvido pela engenharia brasileira sobre uma plataforma global do Grupo VW, a MQB – a mesma sobre a qual já são montados aqui Polo e Golf, mas esses são projetos originados da Alemanha. O Virtus é um derivado do hatch Polo, mas no momento é fabricado só no Brasil, na planta Anchieta em São Bernardo do Campo (SP), a mais antiga da VW fora da Europa, que recentemente recebeu investimento de R$ 2,6 bilhões para produzir modelos sobre a plataforma MQB.

O visual do novo sedã, assim como o do Polo, nasceu das mãos de dois brasileiros, os irmãos gêmeos Marcos e José Pavone, o primeiro chefe de design da Volkswagen na Alemanha e o segundo também chefe da área na subsidiária brasileira da empresa. É um desenho “limpo e elegante”, sem exageros e agradável ao olhar.

O Virtus tem entre-eixo (2,65 metros) maior que o do Polo e seu comprimento total de 4,48 m o coloca em igualdade de espaço com muitos sedãs médios. O resultado é bastante conforto interno para quatro pessoas e um amplo porta-malas de 521 litros.

Assim como o Polo, o Virtus ganhou classificação de cinco estrelas, a máxima, nos testes de colisão do Latin NCAP (leia aqui), o que o coloca entre os carros mais seguros vendidos na América Latina. Além da estrutura reforçada com aços de alta resistência, o modelo vem de fábrica com quatro airbags, frontais e laterais, que se combinam bem aos cintos de segurança dianteiros com pré-tencionador, além de freios a disco nas quatro rodas com ABS (antitravamento) e EBD (distribuição eletrônica de frenagem). Os assentos traseiros têm sistema de fixação de cadeiras infantis tipo Isofix. As duas versões de topo 200 TSI têm controle eletrônico de estabilidade (ESC) e de tração incluídos no preço básico, e a opção de entrada MSI 1.6 pode ter o equipamento como opcional.

Todas as versões vêm equipadas com direção elétrica, ar-condicionado, acionamento elétrico de vidros, retrovisores e travas, suporte no painel para fixação de celular com entrada USB para recarga, além de sistema de som de quatro alto-falantes com rádio AM/FM, conexão Bluetooth e entradas USB, cartão SD e auxiliar.


Versão mais completa do Virtus Highline, com todos os opcionais, inclui o quadro de instrumentos digital configurável e o sistema de infoentretenimento Discovery Media com tela tátil de 8”

PREÇOS

VIRTUS MSI: R$ 59.990
Motor EA 211 de alumínio, 4C, 1,6 litro, aspirado, injeção eletrônica multiponto indireta, flex (etanol/gasolina E22), 116/110 cv e torque 155/162 Nm a 4.000 rpm; câmbio manual de cinco marchas; consumo Inmetro 11,9/13,8 km/l (gasolina E22) e 8,2/9,5 km/l (etanol) nos ciclos cidade/estrada; rodas de aço 15”
PACOTES OPCIONAIS
Connect Pack (R$ 2.950): central multimídia “Composition Touch” com tela 6,5”, volante multifuncional, computador de bordo, rodas de liga leve 15”, sensor de estacionamento traseiro e controles eletrônicos de estabilidade (ESC) e de tração (SSR) com bloqueio de diferencial e assistente de partida em aclive (HHC).
Safety Pack (R$ 1.050): controles eletrônicos de estabilidade (ESC) e de tração (SSR) com bloqueio de diferencial e assistente de partida em aclive (HHC)

VIRTUS CONFORTLINE 200 TSI: R$ 73.490
Motor EA 211 de alumínio, 3C, 1,0 litro, turboalimentado, injeção direta, flex (etanol/gasolina E22), 128/115 cv e torque 200/162 Nm a 3.500 rpm; câmbio automático de seis marchas; ESC/SSR de série; consumo Inmetro 11,2/14,6 km/l (gasolina E22) e 7,8/10,2 km/l (etanol) nos ciclos cidade/estrada; sistema de infoentretenimento “Composition Touch” 6,5”; rodas de liga leve 15”
PACOTES OPCIONAIS
Tech 1 (R$ 2.200): acesso sem chave e partida por botão, controle de velocidade de cruzeiro, sensor de estacionamento dianteiro, retrovisor interno antiofuscante, rodas liga leve 16”, sensores crepuscular e de chuva, aletas para trocas de marcha no volante
Tech 2 (R$ 3.500): além dos itens do pacote Tch 1, adiciona indicador de pressão dos pneus, porta-malas com ajuste de espaço, ar-condicionado digital, câmera de ré, detector de fadiga, frenagem pós-colisão e porta-luvas refrigerado

VIRTUS HIGHLINE 200 TSI: R$ 79.990
Mesmo powertrain, consumo e equipamentos da versão Confortline, adicionando de série acesso sem chave e partida por botão, controle de velocidade de cruzeiro, rodas liga leve 16”, ar-condicionado digital e luz de condução diurna em LED
PACOTES OPCIONAIS
High (R$ 3.300): sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, câmera de ré, indicador de pressão dos pneus, porta-malas com ajuste variável de espaço, detector de fadiga, frenagem pós-colisão, retrovisor interno antiofuscante, porta-luvas refrigerado, sensores crepuscular e de chuva, quadro de instrumentos digital configurável (Active Info Display), sistema de infoentretenimento Discovery Media com tela tátil de 8”
Couro Native (R$ 800): revestimento de bancos e laterais
Rodas 17” (R$ 1.200): rodas de liga leve 17” com desenho exclusivo
Space Pack (R$ 300): banco rebatível do passageiro dianteiro para acomodar objetos compridos

* Para todas as versões do Virtus, a única cor sem cobrança adicional é preto sólido; a Volkswagen cobra R$ 450 por vermelho ou branco sólidos e R$ 1.450 pelas demais cores metálicas

Assista abaixo entrevista exclusiva da ABTV com Pablo Di Si, presidente da Volkswagen Brasil e América do Sul



Tags: Volkswagen, Virtus, lançamento, sedã compacto, mercado, projeções.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência