NOTÍCIAS
08/01/2018 | 14h00

Comerciais

Carretas têm alta, mas carrocerias fecham ano em baixa

Setor de implementos comemora volta do crescimento de 7,5% da linha pesada


PEDRO KUTNEY, AB

De acordo com dados divulgados na segunda-feira, 8, pela associação dos fabricantes de implementos rodoviários, a Anfir, o setor fechou 2017 com desempenho misto, consolidando alta nas vendas de carretas e baixa nos negócios de carroceria sobre chassis, seguindo assim a mesma tendência verificada no mercado de caminhões: queda na linha de veículos leves e crescimento nos emplacamentos de modelos pesados (leia aqui). Mas os porcentuais de evolução para baixo e para cima foram mais discretos em ambos os casos, com boa expansão de 7,5% nas compras de reboques e semirreboques, que no entanto não foi suficiente para compensar o recuo de 8,3% nas implementações de caminhões chassi-cabine, o que puxou o resultado geral em volumes para baixo, anotando pequena retração de 2,4% sobre 2016.

- Veja os dados da Anfir do fechamento de 2017 aqui
- Veja aqui outros dados da indústria
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência

“A recuperação do segmento pesado (rebocados) representou para a indústria um momento importante no ano passado”, comemora Alcides Braga, presidente da Anfir. Isso porque o segmento de reboques e semirreboques representa faturamento significativamente maior que o de carrocerias, garantindo assim melhor desempenho financeiro aos fabricantes. No período de janeiro a dezembro foram entregues 24.928 carretas, ante 23.187 em 2016, consolidando o crescimento anual de 7,51%. “Em 2018 devemos ampliar esse resultado acompanhando a recuperação da economia, que também deverá trazer o setor leve para o desempenho positivo”, avalia Braga.

As recuperações mais significativas, que puxaram para cima os volumes de carretas em 2017, foram verificadas nas vendas de baús de carga geral (+55,6%), baús lonados (+49,3%), carretas-tanque de carbono (+19,7%) e basculantes (+19%). De maneira geral, os segmentos com desempenho positivo acima da média confirmam os setores da economia que mais cresceram no ano passado.

A queda das implementações de carroceria sobre chassis atingiu todos os segmentos e já era esperada pela entidade: “Esse desempenho confirma a expectativa da Anfir, de que o segmento leve só deverá reverter os resultados negativos, acompanhando a linha pesada, após a virada do ano. A rapidez com que isso acontecerá está diretamente ligada à retomada da economia no mercado de varejo”, ressalva Mario Rinaldi, diretor executivo da associação. A venda de implementos leves totalizou em no ano passado 35.569 unidades, contra 38.809 em 2016, em retração de 8,35%.

QUEDA PERSISTENTE, MAS MENOR

Somando os volumes dos dois segmentos, no total a indústria de implementos rodoviários registrou em 2017 queda de 2,42% - porcentual que, embora negativo, representa sensível melhoria em comparação com o tombo de quase 30% no resultado de 2016 sobre 2015. De janeiro a dezembro o setor entregou ao mercado 60.497 unidades, ante 61.996 um ano antes e muito abaixo ainda dos 88,3 mil implementos negociados em 2015. “Não conseguimos zerar as perdas por conta do comércio urbano que ainda não respondeu à onda de recuperação da economia”, diz o presidente da Anfir. “A retomada do segmento de carroceria sobre chassis depende do resultado das vendas do comércio de varejo e do desempenho de micro e pequenas indústrias que geram muita carga própria”, explica Braga.

O mercado externo ajudou bastante os fabricantes que exportam parte da produção, em número ainda pequeno no Brasil. Ainda assim, de janeiro a novembro (último resultado disponível) foram exportadas 3.631 unidades, número 23,3% maior do que o verificado nos mesmos onze meses de 2016.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:


QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 16/01/2018
Quem liderou os principais segmentos em 2017

Esta coluna é apoiada por:

Advertisement Advertisement Advertisement
Advertisement Advertisement
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
INOVAÇÃO | 19/01/2018
Há alguns obstáculos para fazer dar certo a relação entre elefantes e formiguinhas
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
DE CARRO POR AÍ | 22/01/2018
Salão de Detroit sedia apresentações globais direcionadas aos EUA
AUTOINFORME | 10/01/2018
Só três dos 15 mais importados não são utilitários esportivos
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
QUALIDADE | 01/12/2017
Envolver e motivar colaboradores é essencial para gerar bons resultados