NOTÍCIAS
23/11/2017 | 18h53

Tecnologia

Caminhão Semi, da Tesla, custará a partir de US$ 150 mil

Fabricante anunciou preços do elétrico, mas sem divulgar capacidade de carga


REDAÇÃO AB

Em meio a sérias dificuldades para colocar em prática o seu plano de produzir um automóvel de alto volume, o Model 3, a Tesla revelou os preços do Semi, seu primeiro caminhão que, assim como os automóveis da marca, terá propulsão puramente elétrica. A companhia informa que os valores começam em US$ 150 mil para a configuração mais básica, com autonomia de 480 quilômetros. Já a versão capaz de rodar 800 quilômetros com apenas uma carga da bateria será oferecida por US$ 180 mil. Se quiser ser um dos mil primeiros a receber o caminhão, o cliente precisará desembolsar US$ 200 mil e comprar versão especial “Founders Series”.

A pré-reserva dos veículos já está aberta por US$ 20 mil. De fato, os valores não são exorbitantes para o segmento, principalmente porque a promessa da Tesla é de que o custo de operação do veículo será 20% menor do que o de modelos equivalentes a diesel. A empresa ainda não revelou, no entanto, a capacidade de carga do modelo, informação definitiva para entender se vale a pena investir na novidade.

As características do Semi divulgadas até aqui, como tecnologias de segurança (leia aqui) e agora o preço, são promissoras, mas o potencial de transporte do modelo pode ser justamente um dos pontos sensíveis. A suspeita é de que, para garantir autonomia tão interessante, o caminhão precise ser equipado com um pesado conjunto de baterias, o que limitaria a capacidade para transportar mercadoria, comprometendo assim a competitividade do modelo no acirrado mercado de veículos comerciais.

DESAFIOS DA TESLA

Abrir a pré-venda do Semi é estratégico para a Tesla não só para criar burburinho em torno do modelo, mas porque a empresa precisa levantar capital para manter a sua operação. Estimativa da Bloomberg aponta que a companhia precisa captar US$ 2 bilhões nos próximos meses para dar continuidade aos seus planos (leia aqui). Outro fator relevante é que a pré-venda será um bom termômetro de um público ainda inédito para a marca, o transportador de carga.

Até então os clientes que compram automóveis Tesla não mostram grande incômodo em pagar alguns milhares de dólares para reservar modelos que nunca viram pessoalmente e que, tradicionalmente, são entregues com bons meses de atraso. O mercado de caminhões, no entanto, tem lógica diferente, baseada estritamente em custo.

Outro ponto importante é que a montadora só oferece seus carros em concessionárias próprias, estrutura que tem rendido algumas conquistas para a Tesla, que foi apontada como a marca mais preparada para vender carros elétricos em recente estudo do Instituto Ipsos. Mais uma vez aqui, apesar da experiência da empresa na oferta de modelos zero emissão, as coisas podem não funcionar do mesmo jeito no segmento de veículos comerciais, em que o cliente é atraído a comprar um veículo pela vantagem que ele oferece para a operação, não pela oportunidade ou novidade.

Também não passa muita confiança o fato de a companhia tentar uma ofensiva no setor de caminhões, que tem necessidades bastante específicas, antes mesmo de consolidar seu negócio em veículos de passeio.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:


QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 16/01/2018
Quem liderou os principais segmentos em 2017

Esta coluna é apoiada por:

Advertisement Advertisement Advertisement
Advertisement Advertisement
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
INOVAÇÃO | 19/01/2018
Há alguns obstáculos para fazer dar certo a relação entre elefantes e formiguinhas
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
DE CARRO POR AÍ | 22/01/2018
Salão de Detroit sedia apresentações globais direcionadas aos EUA
AUTOINFORME | 10/01/2018
Só três dos 15 mais importados não são utilitários esportivos
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
QUALIDADE | 01/12/2017
Envolver e motivar colaboradores é essencial para gerar bons resultados