NOTÍCIAS
31/10/2017 | 17h39

Mercado

Total quer elevar participação de 2% para 5% até o fim de 2019

Empresa vai focar em pesados, motos, indústria e ampliar capilaridade


REDAÇÃO AB

Estratégia de Bellion (foto) visa a segmentos com margens de lucro mais altas
A Total Lubrificantes quer ampliar sua participação no mercado brasileiro de lubrificantes de cerca de 2% para 5% até o fim de 2019. O caminho traçado passa pelo aumento da presença nos segmentos de caminhões, motos, industrial e também pela expansão do número de distribuidores.

No segmento de veículos comerciais pesados, a Total vê a oportunidade de ampliar sua participação atual de 0,8% para 2% fornecendo para frotistas que atuam no transporte rodoviário. “É um nicho em que não estamos muito presentes e que precisamos avançar por estratégias comerciais”, afirma o diretor geral da empresa no Brasil, Olivier Bellion. Segundo a empresa, apesar da grande malha viária do País, os lubrificantes para veículos comerciais representam apenas 8% do faturamento da companhia.

“Queremos aproveitar todas as oportunidades para crescer por aqui saindo um pouco dos nichos predominantes no mercado”, diz Bellion, referindo-se ao segmento de automóveis e comerciais leves. “Miramos em produtos com margens mais altas de setores importantes para o nosso negócio”, ressalta o executivo.

Na divisão de duas rodas, a Total vai trabalhar a marca ELF consolidando parcerias e capacitando distribuidores e formadores de opinião. Na área industrial, a intenção é crescer com a oferta de produtos para os setores de química, construção, energia, borracha, metal e madeira.

Para aumentar suas vendas a empresa já trabalha para ampliar o número de distribuidores, que passará de 33 para 40 ainda em 2017. “Vamos expandir para alguns Estados onde ainda não atuamos, como Amapá, Piauí, Tocantins e em algumas regiões da Bahia e de Minas Gerais”, conclui Bellion.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 15/11/2017
Mudança na mobilidade domina discussões do Congresso SAE Brasil

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
DE CARRO POR AÍ | 17/11/2017
Chineses entregam operação brasileira à administração dos brasileiros
INOVAÇÃO | 25/10/2017
Indústria precisa questionar qual será o seu papel no futuro
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
AUTOINFORME | 09/11/2017
Luguez firmou parceria com o governo de Ohio
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro