Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Greve na Chery chega ao fim após um mês
Metalúrgicos votam pelo fim da greve após assembleia

Trabalho | 30/10/2017 | 12h16

Greve na Chery chega ao fim após um mês

Metalúrgicos aceitaram 1,73% de reajuste, mas barraram terceirização

MÁRIO CURCIO, AB

Terminou na segunda-feira pela manhã a greve que afetava a fábrica da Chery em Jacareí (SP) desde o dia 28 de setembro. Em assembleia, os metalúrgicos acabaram aceitando a proposta inicial feita pela montadora, de 1,73% de reajuste pela inflação, mas conseguiram manter a proibição da terceirização irrestrita na fábrica e a garantia de estabilidade no emprego para lesionados.

Durante as negociações, a direção da Chery havia afirmado que pretendia ampliar a terceirização na fábrica, recorrendo à reforma trabalhista, e também pretendia pôr fim à estabilidade aos lesionados. A Chery estava produzindo apenas o QQ quando a paralisação começou, mas já vinha fazendo testes para a montagem do utilitário esportivo Tiggo2, previsto para este ano.

A fábrica do interior paulista tem cerca de 400 funcionários e é a única da Chery fora da China. Essa foi a quinta greve desde que a unidade começou a produzir regularmente, em fevereiro de 2015, e a segunda a durar um mês inteiro. Segundo a companhia, cerca de 700 carros deixaram de ser fabricados com a paralisação.

Na primeira quinzena de outubro, a matriz da montadora publicou no site da bolsa de valores de Changjiang, na cidade de Wuhu, onde suas ações são negociadas na China, que pretende vender pouco mais de 50% do controle de sua fábrica brasileira (veja aqui). No entanto, a Chery do Brasil ainda não se pronunciou a respeito.



Tags: Chery, metalúrgicos, QQ, estabilidade, lesionados, Tiggo 2.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência