Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Trabalho | 23/10/2017 | 13h40

Greves ainda afetam Mitsubishi e Chery

Reivindicações salariais e trabalhistas mantêm paralisação nas montadoras

MÁRIO CURCIO, AB

Os funcionários da fábrica da HPE, em Catalão (GO), onde são montados veículos Mitsubishi e Suzuki, decidiram permanecer em greve após assembleia realizada na manhã da segunda-feira, 23.

De acordo o Sindicato dos Metalúrgicos de Catalão (Simecat), os trabalhadores rejeitaram novas propostas feitas pela Mitsubishi, entre elas a do abono salarial, que teria subido de R$ 1,6 mil para R$ 1,8 mil. Os funcionários pedem R$ 3,5 mil.

A próxima assembleia entre metalúrgicos e sindicato ocorre na manhã de terça-feira, 24, a partir de novas propostas discutidas com a montadora na Justiça do Trabalho na tarde da segunda-feira. De acordo com o Simecat, 90% dos trabalhadores da HPE estão parados desde o dia 16. Além do abono, eles reivindicam Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de R$ 7 mil e reajuste salarial de 5%. A empresa oferece, respectivamente, R$ 5,4 mil e 2%.

A Chery também permanece em greve. A paralisação ocorre há quase um mês e afeta toda a fábrica de Jacareí (SP). Os trabalhadores reivindicam reajuste de 9,2%, elaboração de um plano de cargos e salários e a manutenção de direitos trabalhistas.

Uma nova reunião de conciliação entre a Chery e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região está marcada para o dia 31 de outubro. Segundo a entidade que representa os trabalhadores, até a tarde da segunda-feira, 23, eles ainda estavam sem receber o adiantamento que deveria ser depositado no dia 13 deste mês.



Tags: Greve, Mitsubishi, Catalão, sindicato, metalúrgicos, Suzuki, HPE, Chery.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência