Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Greve da Chery já tem três semanas

Trabalho | 19/10/2017 | 20h5

Greve da Chery já tem três semanas

Montadora recusou proposta de 3,73% de reajuste feita pelo TRT
MÁRIO CURCIO, AB

A greve na Chery em Jacareí (SP) entra em seu 22º dia. Na reunião entre empresa e sindicato ocorrida na quarta-feira, 18, a fabricante recusou a proposta de reajuste de 3,73% apresentada pelo Tribunal Regional do Trabalho na terça, 17, e aceita pelos metalúrgicos.

Além do reajuste, o TRT propôs também em audiência de conciliação a renovação de direitos previstos no acordo coletivo, implantação de um plano de cargos e salários e o pagamento dos dias parados durante a greve.

Por causa da paralisação, os trabalhadores não receberam o adiantamento salarial que seria pago no dia 13 de outubro. Uma nova audiência de conciliação está marcada para o dia 31 de outubro no TRT.

A montadora vive um momento crítico no País com a greve, a proximidade do lançamento do utilitário esportivo Tiggo 2, cujos testes de produção já haviam começado, e também pela intenção da matriz de vender pouco mais de 50% do controle da fábrica brasileira (veja aqui).

A fábrica de Jacareí foi inaugurada em agosto de 2014, mas começou a produzir para vale em fevereiro de 2015 e pouco depois já enfrentou sua primeira greve, que durou um mês inteiro. Dessa forma, a greve em andamento já é a segunda mais longa e a quinta realizada na montadora. A soma de todas resulta em dois meses de paralisação.

A Chery não divulgou nenhum novo informe a respeito da greve e continua alegando que não foi comunicada pela matriz a respeito da venda de parte da fábrica do interior paulista.

Tags: Greve, Chery, TRT, metalúrgicos, Tiggo 2.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
AB Inteligência