NOTÍCIAS
16/10/2017 | 19h43

Comerciais

Randon mantém postura cautelosa com retomada

Fabricante de implementos espera por pequeno crescimento em 2018


SUELI REIS, AB

A partir da esquerda: o presidente David Randon e os COOs Sergio Carvalho e Alexandre Gazzi
Há um consenso entre a cadeia de produção de veículos comerciais de que há uma retomada em curso do mercado e que as vendas, aos poucos, estão dando sinais de melhora, mas este processo ainda está em ritmo bastante lento, indica a fabricante e líder do mercado de implementos rodoviários Randon. Enquanto algumas montadoras de caminhões projetam crescimento de 15% a 20% das vendas para 2018, a empresa é mais cautelosa quanto à retomada da economia e do setor de transporte de cargas no Brasil.

“Há uma pequena retomada, ainda devagar; e em 2018 esperamos que será um pouco melhor”, afirma o presidente da empresa, David Randon, durante entrevista na segunda-feira, 16, na Fenatran.

O executivo expressa o quanto o setor de implementos e carretas diminuiu drasticamente com a paralisação do mercado de caminhões: “Saímos de um patamar de 70 mil unidades em 2013 para 26 mil em 2017 e algo em torno de 23 ou 24 mil em 2017”.

“O mercado não melhorou, continua em nível muito baixo. Nós sentimos uma melhora porque estamos performando melhor do que a concorrência”, analisa o COO das Empresas Randon e responsável pela divisão montadora, Alexandre Gazzi.

Embora o mercado de pesados trilhe lentamente a rota da recuperação, a Randon indica que não pode parar na crise e tampouco na retomada. A empresa, que como muitas outras da cadeia, foi obrigada a ajustar as operações ao tamanho da demanda menor, adotou a estratégia de “não dar as costas para o mercado e focar em caixa”. Agora, a companhia retoma alguns projetos antes pausados por causa da forte retração das vendas, caso da nova fábrica de Araraquara (SP), anunciada em outubro de 2014 e que só agora retomou as obras, após um período de paralisação. Com investimento de R$ 100 milhões, a unidade será dedicada à produção de semirreboques canavieiros, basculantes e vagões ferroviários. “Desaceleramos e estamos voltando a acelerar em Araraquara, já estamos fazendo testes para operar no primeiro trimestre de 2018”, diz Gazzi.

INOVAÇÃO X CUSTO

Gazzi explica que a empresa optou ainda por encontrar o equilíbrio entre inovação e custo, a partir do uso de novos materiais, como mix de aço e alumínio, a fim de reduzir peso e tara e ajudar na composição do preço do produto e nos benefícios que trará para o cliente: “Conseguimos renovar as famílias e chegar a um preço competitivo”, acrescenta.

Segundo o executivo, 60% da receita do grupo vêm das inovações feitas nos últimos cinco anos em produtos tanto na divisão de veículos, que inclui os implementos e veículos especiais off-road, além das autopeças Fras-le, Suspensys, Master, Jost e Castertech. Essas inovações estão sendo lançadas na Fenatran deste ano, entre elas, cinco novidades na linha de implementos, incluindo o semirreboque a base de contêiner, desenvolvido para o mercado peruano, e outros 17 novos produtos e atualizações da divisão de autopeças.

“A Randon tem como base trabalhar no melhor para o mercado interno, mas também estamos focados no processo de internacionalização”, reforça o COO para a divisão de autopeças, Sergio Carvalho. Ele confirma a expansão na China, com a ampliação da operação a partir do investimento equivalente a R$ 9 milhões em um novo local para a fábrica, que mais que duplicará sua capacidade produtiva com inauguração prevista para 30 de novembro (leia aqui), e mais um novo centro de distribuição que será aberto na Colômbia. Além disso, Carvalho indica que novos investimentos estão por vir.

A cobertura de Automotive Business é patrocinada por Carcon Automotive e Automechanika Frankfurt.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 22/11/2017
Frota brasileira de 42 milhões exige controle apropriado

Esta coluna é apoiada por:

Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
INOVAÇÃO | 25/10/2017
Indústria precisa questionar qual será o seu papel no futuro
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
AUTOINFORME | 09/11/2017
Luguez firmou parceria com o governo de Ohio
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
DE CARRO POR AÍ | 17/11/2017
Chineses entregam operação brasileira à administração dos brasileiros
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018