Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Exportações de veículos batem recorde até setembro

Indústria | 05/10/2017 | 18h22

Exportações de veículos batem recorde até setembro

Com 566,2 mil embarques, indústria caminha para o seu melhor ano
SUELI REIS, AB

As exportações de veículos bateram novo recorde ao registrar 566,2 mil unidades embarcadas de janeiro a setembro, de acordo com balanço divulgado na quinta-feira, 5, pela Anfavea, que reúne as fabricantes no Brasil. Segundo a entidade, o volume está 55,7% maior sobre o de iguais meses do ano passado. Com este resultado, a indústria brasileira está prestes a comemora 2017 como seu melhor ano, o que deve mesmo se confirmar até o fim de dezembro, conforme as previsões.

- Veja aqui os dados da Anfavea
- Veja aqui outros dados da indústria
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência

Nelas, a Anfavea aponta que em 2017 as exportações vão chegar a 745 mil unidades, entre veículos leves e pesados, superando o recorde anterior, que é de 2005, quando o País embarcou 724,1 mil veículos. Para alcançar o novo recorde, faltam pouco mais de 178,7 mil, o que dá uma média de 59,5 mil em cada mês deste último trimestre. Vale observar que exceto janeiro, em todos os meses deste ano até setembro o volume de exportação ficou acima das 60 mil unidades. A média do ano, considerando os nove meses completos, está em 62,9 mil por mês e só não é maior por causa do resultado baixo de janeiro, que foi de 37,9 mil.

Os países da América do Sul continuam sustentando a indústria nacional, uma vez que o mercado interno está se recuperando em ritmo lento. Segundo a Anfavea, todos os principais destinos registram crescimento no volume de veículos produzidos no Brasil. O maior deles é a Argentina, que nos últimos doze meses terminados em setembro elevou suas compras em 41,5%, passando de 279 mil em 2016 para 395 mil neste ano. Na sequência vem México (+ 30,1% / 69 mil x 53 mil), Chile (+116% / 26 mil x 12 mil), Uruguai (+109% / 11 mil x 23 mil), Colômbia (+33% / 12 mil x 16 mil) e Peru (+207% / 3,9 mil x 12 mil).

No caso da Colômbia, cujo acordo com o Brasil foi acertado em abril e assinado em julho (leia aqui), a Anfavea revela que ainda não está em vigor. Os carros brasileiros enviados ao mercado colombiano ainda estão pagando 16% no imposto de importação. Neste caso, a alíquota praticada é referente a um acordo de países andinos acordado há mais de 10 anos, que reduziu o imposto gradativamente até chegar ao índice atual, por isso não se aplica aquio máximo permitido pela OMC, de 35%.

Segundo o vice-presidente da Anfavea, Rogelio Golfarb, depois que o bloco andino começou a ter problemas com a Venezuela, o Brasil se viu obrigado a fazer acordos individuais e confirma que o acerto com a Colômbia ainda está em fase de internalização.

Assista abaixo à reportagem da ABTV sobre o desempenho da indústria automobilística até setembro:



Tags: Exportações, recorde, veículos, Anfavea, Rogelio Golfarb.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência