Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Metalúrgicos iniciam greve em fábrica da Chery
Metalúrgicos da Chery decidem por greve durante campanha salarial

Trabalho | 28/09/2017 | 16h26

Metalúrgicos iniciam greve em fábrica da Chery

Os 400 funcionários da planta de Jacareí cruzam os braços por reajuste salarial

REDAÇÃO AB

Os 400 trabalhadores da fábrica da Chery localizada em Jacareí (SP) iniciaram na quinta-feira, 28, uma greve por tempo indeterminado após assembleia para reivindicar reajuste salarial e renovação do acordo coletivo. Esta é a segunda paralisação em menos de uma semana por causa da campanha salarial: a primeira aconteceu na última sexta-feira, 22, como forma de advertir a montadora, informa em nota o sindicato de São José dos Campos e Região.

Nas negociações, o sindicato busca reajuste de 9,2%, mas de acordo com a entidade que representa os metalúrgicos, os representantes da Chery oferecem a reposição da inflação no período de setembro de 2016 a agosto de 2017, que foi de 1,73%.

“O índice oferecido pela Chery é extremamente rebaixado. Os salários perderam muito poder de compra no último período e, portanto, é fundamental que seja aplicado aumento real. Em todas as rodadas de negociação, a montadora se manteve intransigente. Agora, se não houver avanço, a greve continuará por tempo indeterminado”, afirma em nota o diretor do sindicato local, Guirá Borba.

Também em nota, a Chery confirma a greve e que após a realização de três reuniões, não houve consenso entre as partes. A fabricante informa que seguirá com as negociações “buscando em breve chegar a um acordo, para que as atividades da produção possam ser retomadas”, diz no comunicado.

Em julho, a empresa havia enfrentado outra paralisação dos trabalhadores por causa da PLR, que durou 24 horas. Pelo acordo, montadora e sindicato acertaram o pagamento de R$ 6 mil para cada um dos funcionários (leia aqui).

A planta de Jacareí é a responsável pela produção dos modelos QQ e Celer, e mais recentemente pelo Tiggo 2, nova versão do utilitário esportivo que entrou em produção na unidade em julho deste ano (leia aqui).

O sindicato informa ainda que a planta está com ritmo de produção de 30 veículos por dia em um turno. Sua capacidade, segundo a montadora, é de 150 mil veículos por ano.



Tags: Greve, Chery, fábrica, sindicato, reajuste, Jacareí.

Comentários

  • Sara

    Isso é um absurdo. A marca chery não preza em nenhum momento os seus clientes. É um descaso enorme com as pessoas que optam pela compra da marca. Quando um carro tem algum tipo de problema por batida ou mecânica, a maioria das peças não tem pronta entrega no mercado, as peças originais, pq peças paralelas são encontradas. O prazo de entrega é muito grande e 90% dos casos eles atrasam nas entregas. Ou seja a CHERY em nenhum momento dá valor ao seu consumidor.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência