NOTÍCIAS
21/09/2017 | 20h00

Importados

SsangYong faz novo começo no Brasil

Marca coreana lançará 4 modelos e promete atender clientes antigos


PEDRO KUTNEY, AB

Gerson Pittorri preside a operação da SsangYong em sua nova tentativa no Brasil, com aposta no novo SUV compacto Tivoli
Com apostas no fim da sobretaxação sobre veículos importados (a partir de 2018 com o encerramento do Inovar-Auto), câmbio estável, mercado em via de voltar a crescer e demanda em alta por modelos SUVs, a coreana SsangYong decidiu começar de novo no Brasil, após duas tentativas anteriores, em 1995-1998 e 2001-2015. Desta vez a marca será representada no País pela Venko Motors, do Grupo JBJ – mesma empresa que introduziu e representou a chinesa Chery no mercado brasileiro de 2009 a 2012, quando a operação foi assumida pela própria fabricante. A Venko firmou com a SsangYong um contrato de representação válido por 10 anos, renovável por períodos subsequentes de cinco anos.

A missão inicial será reconstruir a imagem entre os clientes brasileiros da SsangYong, que ficaram desassistidos depois que a Districar abandonou o negócio, em 2015, após ter vendido 16,5 mil veículos no País. “Agora esses clientes são nossa responsabilidade. Assumimos o compromisso público de retomar as operações e oferecer todo o atendimento de pós-venda”, promete Gerson Pittorri, presidente da agora chamada SsangYong Brasil. “Também vamos atender todos que eventualmente ficaram sem garantia de fábrica (de três anos), assumindo o tempo que ficou faltando”, afirma o diretor de operações Marcelo Fevereiro. “Nossa intenção é dar segurança aos consumidores para retomar a confiança deles na marca”, completa. (Para mais informações o novo site da marca no País pode ser acessado no endereço www.ssangyongbrasil.com.br/.)

“Pedimos sinceras desculpas aos clientes que ficaram sem assistência. Isso aconteceu porque o distribuidor anterior teve problemas financeiros. Os altos impostos do Inovar-Auto e a alta da taxa de câmbio tornaram o negócio inviável naquela época”, disse Jong Dae Lee, diretor geral de exportação da SsangYong, que veio ao País para o relançamento da marca. “São os consumidores antigos da marca que agora formarão a base para conquistar novos. Acredito que podemos recuperar nossa imagem com bom atendimento e os produtos de qualidade que vamos oferecer”, completou. “Negociamos preços competitivos para essa reentrada, quase no mesmo nível de competidores nacionais, para revitalizar a rede, restaurar a confiança e reparar os erros do passado.”

Fevereiro informou que para garantir as promessas a Venko já fez quatro ciclos de importação de peças e preparou um centro de distribuição de 10 mil metros quadrados em Salto (SP), sede da empresa importadora, e credenciou 16 pontos de atendimento remanescentes das duas fases anteriores no Brasil. Até janeiro o objetivo é ter 30 concessionárias de serviço completo credenciadas e chegar a 50 no fim de 2018.

NOVOS PRODUTOS E POSICIONAMENTO


O SUV compacto Tivoli: design atraente e acabamento interno refinado

No primeiro trimestre de 2018, quando cessa a sobretaxação do Inovar-Auto, a SsangYong vai começar a vender quatro modelos por aqui, a picape média Actyon Sports e o SUV Korando, de tamanho similar e com a mesma motorização 2.2 diesel Euro 6 de 185 cavalos, transmissão automática Aisin de seis marchas e tração 4x4. Na sequência devem chegar dois modelos a gasolina para brigar no aquecido e concorrido mercado brasileiro de SUVs pequenos, o Tivoli e seu derivado estendido XLV, construídos sobre nova plataforma global da SsangYong, ambos equipados com motor 1.6 de 128 cavalos e câmbio automático de seis velocidades. Todos passam desde o início de 2017 por processo de homologação no Denatran, que dever ser concluído até o fim do ano.

No primeiro ano, a projeção é vender 3 mil unidades, mas os coreanos esperam por retomada maior. “Queremos expandir constantemente nossa presença aqui porque o Brasil segue sendo um mercado importante, por isso sempre quisemos voltar. Somos especialistas em SUVs e picapes e esperamos aproveitar a demanda aquecida desse segmento no País com vários lançamentos”, afirma Lee.


A picape média Actyon Sports chegará com motor diesel 2.2 Euro 6 de 185 cv, câmbio automático e tração 4x4

O executivo afirmou que no momento não há planos de produção local, mas que “no futuro isso poderá acontecer se existir demanda”. Ao menos nos próximos anos a operação da SsangYong na Coreia parece ter condições de atender o mundo todo. As fábricas próprias de motores e de montagem final no país asiático na deverão produzir perto de 170 mil unidades este ano, mas com ajustes e adoção de mais turnos de trabalho a capacidade pode chegar ao máximo de 300 mil/ano. Boa parte da produção é exportada: em 2016, de 156 mil veículos vendidos, a SsangYong embarcou 53 mil para outros países, 24 mil (44%) deles para a Europa.

Para a América do Sul, no ano passado a SsangYong exportou 11 mil veículos e os maiores compradores foram os chilenos (7 mil). “Com o Brasil temos expectativa que nossos volumes podem crescer bem mais na região”, avalia Lee. Ele recorda que em 2011, no melhor ano no mercado brasileiro, foram emplacados 7 mil carros da marca.

Nos últimos anos em que esteve fora do Brasil a SsangYong renovou todo o seu portfólio de produtos. O design exótico de seus modelos parece ter ficado no passado. Aparência e acabamento melhoraram muito, hoje não ficam devendo em nada a marcas premium internacionais. A tecnologia de powertrain atualmente tem desenvolvimento próprio, mas conta com legado de 10 anos de parceria tecnológica com a Mercedes-Benz. Com os novos SUVs e “preços competitivos”, Marcelo Fevereiro avalia que os carros da coreana vão concorrer com Jeep Compass e Renegade, Honda HR-V, Nissan Kicks e compatriotas como Kia Sportage e Hyundai Creta e ix35.


O renovado SUV Korando também usa o motor diesel 2.2

Comentários: 4
 

João
21/09/2017 | 22h23
Deixaram antigos clientes na mão e agora querem que estes mesmos clientes sejam os promotores da marca?? É isso mesmo que li??

Luiz
22/09/2017 | 05h22
carro feio pra caramba...

Luciano
25/09/2017 | 08h32
Carros bons, confiáveis, custo benefícios excelente, recomendo. To confiante que dessa vez será um belo recomeço.

Alberto Moura
29/11/2017 | 18h05
Eu acreditei na marca principalmente por conta da parceria com a Mercedes Benz e adquiri uma Camionete Action Sport em Campinas-SP, infelizmente a concessionária deixou-nos a "Deus Dará" e se não fosse a atitude do Sr, Mauricio que era um mecânico desta concessionária e que montou uma oficina em Jundiaí-SP e nos salvou não sei o que faríamos. Até hoje é ele quem nos atende, dando todo tipo de manutenção com muito profissionalismo e vontade de resolver, profissional exemplar. Espero que esta nova distribuidora venha nos dar suporte e não fazer como a Districar que só nos fez passar raiva. Desejamos ser tratado com respeito e atenção profissional, nossa parte de acreditar na Marca Ssangyong já fizemos. Att Alberto Jorge Seixas de Moura

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:


QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 16/01/2018
Quem liderou os principais segmentos em 2017

Esta coluna é apoiada por:

Advertisement Advertisement Advertisement
Advertisement Advertisement
AUTOINFORME | 10/01/2018
Só três dos 15 mais importados não são utilitários esportivos
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
DE CARRO POR AÍ | 12/01/2018
Que tal pagar uns R$ 64.000 pela versão Precision, 1.8, automática?
QUALIDADE | 01/12/2017
Envolver e motivar colaboradores é essencial para gerar bons resultados
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
INOVAÇÃO | 19/01/2018
Há alguns obstáculos para fazer dar certo a relação entre elefantes e formiguinhas