NOTÍCIAS
09/08/2017 | 20h26

Mercado

Exportação é novo alento para a Volvo Bus no Brasil

Montadora dedica 70% de sua produção nacional para outros mercados da AL


SUELI REIS, AB | De Curitiba (PR)

Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Bus para América Latina
“As exportações são alento neste momento de queda do mercado brasileiro: 70% de nossa produção atual de ônibus é para outros mercados.” É com esta afirmação que o presidente da Volvo Bus para América Latina (exceto México), Fabiano Todeschini, define a importância de prospectar novos negócios fora do Brasil, o que vem sustentando as operações do complexo industrial de Curitiba (PR) desde que as vendas no País começaram a definhar em 2014.

“O Brasil chegou a ser o primeiro mercado de ônibus da Volvo no mundo, isso em 2011, e hoje está em oitavo no ranking”, comenta Todeschini.

Naquela época, a fábrica chegava a produzir dez chassis por dia, hoje o volume caiu pela metade, principalmente em função da baixa do mercado interno. “Não é que a exportação deu um boom: foi o Brasil que caiu e muito”, argumenta.

Segundo o executivo, com a lenta movimentação interna, a solução é intensificar os esforços lá fora, nos vizinhos. Embora produzir no Brasil seja 8% mais caro do que Suécia, segundo Todeschini, o custo logístico compensa, uma vez que a operação está mais próxima dos mercados locais.

Os primeiros resultados estão surgindo: há vendas importantes a caminho, como a do Panamá, onde já foram entregues 200 articulados e biarticulados e são esperados mais 300 para o ano que vem. A empresa também está acompanhando de perto o desenrolar da licitação que deve ocorrer em Santiago, no Chile, para renovação da frota local, inclusive do sistema de BRT Transantiago. Contudo, para este negócio o Brasil só funcionará como ponte alfandegária: a licitação prevê 2,2 mil ônibus, todos Euro 6, que serão importados da Suécia, inclusive com carroceria. Além disso, o sistema terá mais 90 ônibus totalmente elétricos e outros 90 com atributos especiais, como 100% de piso baixo. No caso de Santiago, qualquer empresa, de qualquer lugar do mundo, poderá participar da licitação.

“O Chile está se reinventando no transporte público de passageiros. Os pátios, por exemplo, serão todos adquiridos pelo governo e 15% da receita gerada com a tarifa nos terminais vai para o banco que financiará os novos veículos, reduzindo os custos para o operador”, conta. Ele acredita que no Brasil há possibilidades de reinvenção e cita São Paulo, que deve fazer testes com parcerias público-privadas na próxima licitação prevista para ser publicada até o fim deste mês.

Em Bogotá, na Colômbia, também deve ocorrer alguma renovação para o sistema Transmilênio. Para lá, a Volvo Bus está apostando no novo chassi B8R, que acaba de ser lançado (leia aqui). Além da versão B250R, com motor de 250 cv de potência, a montadora vai oferecer uma versão de 330 cv, indicada para terrenos mais acidentados, que pedem mais potência, e para cidades com maior altitude, como é o caso de Bogotá, que tem entre 2 mil e 3 mil metros de altitude.

“O B8R será nossa primeira oferta para todos os mercados latino-americanos. Depois, conforme a necessidade, ampliamos para oferecer os articulados e biarticulados.”

Assim como no Brasil, a montadora manterá nos demais países da região a estratégia de trabalhar o novo B8R com o mesmo preço de seu antecessor, o B290R, da família B7, que sairá de linha.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 16/08/2017
Mercado deve melhorar no segundo semestre, até por novas ações de varejo

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement
INOVAÇÃO | 15/08/2017
Indústria automotiva precisa abrir os olhos para novas formas de trabalhar
DE CARRO POR AÍ | 11/08/2017
Carro tem ingredientes para ser um sucesso da Renault
AUTOINFORME | 10/08/2017
Para meio ambiente, carro elétrico no Brasil não tem a mesma importância que na Europa
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
Negócios | 08/03/2017
Tecnologia faz parte da receita para sair da crise
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes