Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Exportação da Volkswagen cresce 52% no ano

Indústria | 07/08/2017 | 19h00

Exportação da Volkswagen cresce 52% no ano

Vendas externas encostam em 40% da produção da montadora no Brasil

REDAÇÃO AB

O desempenho das exportações da Volkswagen em sete meses já supera a expectativa da empresa em 2017, que é de ampliar em 50% as vendas externas sobre 2016. De janeiro a julho os embarques já avançaram 52% na comparação com o mesmo período do ano passado. Os 102,6 mil veículos da marca vendidos a outros países este ano representam perto de 40% da produção no Brasil e o número já se aproxima do resultado de 2016 inteiro, quando foram exportadas 107,3 mil unidades, fazendo da Volkswagen a maior exportadora da indústria automotiva nacional.

O rápido avanço das exportações da Volkswagen este ano também é ajudado pela superação do problema de fornecimento de estruturas de bancos da Keiper, que devido a uma disputa comercial por aumento de preços suspendeu as entregas à montadora em diversas ocasiões e provocou 11 paralisações da produção em 2016, reduzindo também as vendas externas da marca.

GOL E ARGENTINA SEGUEM NA LIDERANÇA EXTERNA

Apesar de desde 2014 ter perdido a liderança do mercado brasileiro que durou 27 anos, o Gol segue sendo o campeão de exportações da Volkswagen no Brasil, com aumento de 77% nos embarques de janeiro a julho. O modelo representou quase metade das vendas externas da montadora, com 50.393 unidades embarcadas nos sete meses. O Gol foi seguido pela picape Saveiro (16.008), o sedã compacto Voyage (15.697) e o subcompacto Up! (13.789).

Como acontece com quase todos os fabricantes de veículos instalados no Brasil, a Argentina é de longe o maior cliente externo da Volkswagen. A marca é líder no país vizinho e vendeu lá de janeiro a julho 56.458 veículos produzidos em suas fábricas brasileiras, ou mais da metade de suas exportações no período. Depois do mercado argentino, o México foi o segundo maior comprador, com 27.269 unidades.

Permanece elevada a concentração das exportações brasileiras de veículos para estes dois países, mas a Volkswagen destaca que tem registrado resultados relevantes de crescimento nos demais mercados da região desde que foi criada, há cerca de um ano, a divisão SAM da companhia, que reúne 29 países da América do Sul, Central e Caribe. Tirando da conta Brasil, Argentina e México, nos sete primeiros meses do ano a Volkswagen apurou expansão de 105% nos 27 países importadores região, com vendas de 18.844 veículos no período.

“Minha tarefa é de ampliar nossa atuação nesses mercados e aumentar a nossa participação. Há um potencial enorme a ser explorado nesses países”, diz David Powels, presidente da Volkswagen do Brasil que em outubro de 2016 assumiu também o comando da empresa na América do Sul (divisão SAM). “As exportações são uma estratégia de longo prazo. Mais do que uma venda a um outro mercado, a exportação é um relacionamento”, destaca.

Desde as primeiras exportações, em 1970, a Volkswagen do Brasil soma 3,5 milhões de veículos embarcados para 147 países e assim é a maior exportadora do setor. A empresa utiliza atualmente três portos brasileiros para exportar: Santos (SP), São Sebastião (SP) e Paranaguá (PR), de acordo com a proximidade de suas fábricas localizadas em São Bernardo do Campo/Anchieta (SP), Taubaté (SP) e São José dos Pinhais (PR).



Tags: Volkswagen, VW, exportação, indústria, produção.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência