Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Comerciais | 07/08/2017 | 12h36

Venda de implementos cai 18% até julho

Setor verifica redução lenta do ritmo da queda de negócios

REDAÇÃO AB

A indústria de implementos rodoviários ainda trabalha em ritmo lento, acompanhando a queda do mercado de caminhões, que segue em profunda retração de 14% na comparação de janeiro-julho de 2017 contra 2016. Nestes sete meses, as vendas de carretas rebocadas e carrocerias sobre caminhões somaram 30.712 unidades, em baixa de quase 18% ante igual intervalo do ano passado. Os números apontam para diminuição do recuo dos negócios no setor. “Gradualmente a economia está sendo retomada como mostra o desempenho do nosso setor”, explica Alcides Braga, presidente da Anfir, associação que reúne os fabricantes de implementos.

-Veja aqui os dados da Anfir
-Veja aqui outros dados da indústria de implementos
-Veja outras estatísticas em AB Inteligência

Destacando que vendas de implementos rodoviários são um dos termômetros do desempenho atividade econômica no País, Braga afirma que o ritmo dos negócios poderia ser mais elevado se houvesse uma política de incentivo. “Em um momento como o atual faz falta a ação do BNDES dando suporte à indústria e desempenhando seu papel histórico de parceiro dos setores produtores”, defende.

DESEMPENHO POR SEGMENTO

O setor verifica resultados diferentes entre seus dois segmentos, que comportam o mercado de implementos rebocados (pesados) e o de instalação de carrocerias sobre chassis de caminhões (leves). As vendas de reboques e semirreboques apresentou queda menor, de 12,2% entre janeiro e julho de 2017 na comparação com o mesmo período de 2016, com o total de 12.912 unidades emplacadas. Entre 15 tipos de carretas vendidas, somente cinco apresentaram variação positiva: baú de carga geral, transporte de toras, baú frigorífico, baú lonado e tanque de alumínio.

No segmento de carroceria sobre chassis a retração no período foi bem maior, de 21,68%, 17.800 implementações de caminhões. “A recuperação no mercado de implementos urbanos ainda deve demorar porque depende do aumento de consumo nas cidades”, explica Mario Rinaldi, diretor executivo da Anfir.

O dirigente destaca que o segundo semestre, historicamente, costuma apresentar números de vendas mais elevados. Este ano, ele lembra, o setor contará ainda com a realização da maior feira de transporte de carga da América Latina, a Fenatran, para promover seus produtos e aquecer os negócios. “A feira é um momento importante porque permite às empresas se aproximar mais de seus principais clientes em alguns casos, isso pode resultar em mais negócios realizados”, diz Rinaldi.

Nas exportações, embora os números sejam pequenos e o número de empresas exportadoras do setor seja baixo, o desempenho deste ano é positivo, com leve alta de 3,1% nos embarques de implementos (1.894 unidades) nos primeiros sete meses de 2017.



Tags: Anfir, implementos rodoviários, carretas, semirreboques, carrocerias, vendas, emplacamentos.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência