Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
PSA conclui aquisição da Opel e Vauxhall
Presidente mundial do Grupo PSA, Carlos Tavares (dir.) e o CEO da Opel, Michael Lohscheller, selam integração entre as marcas

Negócios | 01/08/2017 | 18h16

PSA conclui aquisição da Opel e Vauxhall

CEO das novas integrantes apresentará plano estratégico até novembro

REDAÇÃO AB

O Grupo PSA anuncia a conclusão da aquisição da Opel e Vauxhall das mãos da GM, cujo negócio de € 1,3 bilhão foi assinado no último 6 de março (leia aqui). Com a operação o Grupo PSA passa a ter cinco marcas automotivas: Peugeot, Citroën, DS, Opel e Vauxhall, além da Free2Move, marca de mobilidade da companhia. Ao mesmo tempo, a GM amputa seu braço europeu, deixando de participar do mercado local, pelo menos por enquanto.

No comunicado divulgado na terça-feira, 1º, o grupo faz questão de ressaltar que com a conclusão do negócio, volta ao segundo lugar do ranking de vendas na região ao somar 17% em participação de mercado no primeiro semestre. A observação vem em resposta ao desempenho do Grupo Renault, que neste mesmo período ultrapassou a PSA ao assumir a vice-liderança de vendas (leia aqui).

A partir de agora, Opel e a Vauxhall começam a elaborar, com o apoio do Grupo PSA, um plano estratégico que tem como objetivo o reestabelecimento econômico. As equipes de ambas as marcas apresentarão o plano em 100 dias (até novembro) e serão responsáveis por sua execução. Já é prevista a geração de sinergias na área de compras, em produção e em P&D estimadas em cerca de € 1,7 bilhão por ano.

Paralelamente, a compra das operações europeias da GM Financial pela PSA continua em andamento, ainda sujeita à validação de autoridades e diferentes instâncias regulamentares, prevista para ser concluída ainda neste segundo semestre.

“Estamos assistindo hoje ao nascimento de um verdadeiro campeão europeu”, destacou o presidente mundial do Grupo PSA, Carlos Tavares. “Ajudaremos a Opel e a Vauxhall a resgatar sua rentabilidade e desejamos estabelecer juntos novas referências para a indústria. Vamos dar vazão ao potencial dessas marcas emblemáticas e ao imenso potencial dos talentos que as compõem. A Opel continuará a ser alemã, a Vauxhall continuará a ser britânica. Elas estão em total adequação com nosso portfólio atual de marcas francesas - Peugeot, Citroën e DS Automobile. Esse projeto virou realidade em alguns meses unicamente graças ao trabalho extraordinário das equipes, às quais agradeço calorosamente. Saberemos aproveitar a oportunidade de nos fortalecer mutuamente e de conquistar novos clientes graças à execução do plano de desempenho que a Opel e a Vauxhall colocarão em prática. Paralelamente, a implementação do plano Push to Pass continua a ser uma prioridade para as equipes, que se mantêm concentradas na realização dos seus objetivos. Acreditamos na dinâmica que essas estratégias podem criar, em benefício de nossos clientes e de nossos funcionários.”

“É um dia histórico”, disse o CEO da Opel, Michael Lohscheller. “Estamos orgulhosos de integrar o Grupo PSA, abrindo um novo capítulo de nossa história depois de 88 anos passados com a General Motors. Continuaremos a disponibilizar para todos a tecnologia made in Germany. Com o compartilhamento de nossas forças, poderemos transformar a Opel e a Vauxhall e tornar suas atividades rentáveis e autofinanciadas. Fixamos claramente o objetivo de reestabelecer a rentabilidade em 2020”, revelou.

MUDANÇAS NA OPEL

Além de gerar um fluxo de caixa livre operacional positivo em 2020, o plano de reestruturação financeira da Opel tem como objetivo uma margem operacional de 2% também em 2020 e de 6% em 2026. Em nota, a Opel também lembra que tal como garantido no acordo assinado em março, todos os direitos dos funcionários serão preservados.

Lohscheller prevê uma estrutura de gestão mais enxuta, inclusive em termos de trabalhadores diretos. “Estamos reduzindo a complexidade e aumentando a velocidade e a agilidade. Estou muito feliz por construir o próximo capítulo da história da Opel/Vauxhall em colaboração com a nova equipe de direção e conduzir nossa empresa rumo a um futuro promissor. Os acionistas e os funcionários não serão os únicos a se beneficiar com o fortalecimento das marcas Opel e Vauxhall – nossos clientes também.”

Ele começou as mudanças na Opel anunciando novos membros de sua equipe de diretores: Christian Müller na empresa desde 1996 será o novo vice-presidente de engenharia; Remi Girardon, atual vice-presidente sênior de estratégia industrial do Grupo PSA e passa a ser o novo vice-presidente industrial; Philippe de Rovira, atual controller do Grupo PSA, passa a ser o novo CFO da Opel, no lugar de Michael Lohscheller, que assumiu o cargo de CEO em junho (leia aqui). Por fim, ele nomeou Michelle Wen, da Vodafone, para integrar a equipe de direção da Opel a partir de 1º de setembro como vice-presdiente de compras de supply chain. As demais nomeações terão efeito imediato.

O Grupo PSA e a Opel Vauxhall colaboram entre si desde 2012, o que inclui até agora quatro veículos da Opel. O primeiro, o Opel Crossland X, chegou ao mercado no mês passado; o Opel Grandland X SUV será lançado no fim deste trimestre. O sucessor do utilitário leve Opel Combo estará no mercado em 2018, enquanto a nova geração do mais vendido, o Opel Corsa, será lançado em 2019.

Na nota, a Opel/Vauxhall e o Grupo PSA informam ainda que continuarão a colaborar com a General Motors: além do desenvolvimento na área da propulsão elétrica, as fábricas da Opel ainda vão produzir veículos para as marcas Buick e Holden da GM.

Veja o vídeo que o Grupo PSA divulgou sobre suas novas marcas:



Tags: PSA, Grupo PSA, Opel, Vauxhall, Carlos Tavares.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência