Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Internacional | 26/07/2017 | 18h46

Montadoras alemãs são suspeitas de formar cartel desde os anos 1990

Grupos secretos teriam trabalhado para desenvolver motores e tecnologias

REDAÇÃO AB

Montadoras alemãs estão sob suspeita de formação de cartel para produção de motores a gasolina, a diesel, freios e transmissões, entre outros sistemas. A denúncia partiu da revista Der Spiegel e envolve BMW, Grupo VW e Daimler, que teriam participado, desde os anos 1990, de grupos de trabalho secretos para o desenvolvimento de tecnologias.

A denúncia se agrava por envolver métodos para redução de emissões de motores a diesel. Segundo a revista alemã, as montadoras teriam combinado o uso de tanques menores de Adblue (equivalente ao nosso Arla 32) a fim de barateá-los. Por serem menores, porém, esses reservatórios teriam se mostrado insuficientes para a tarefa de redução de emissões.

Uma investigação busca determinar se as empresas envolvidas utilizaram comitês da indústria automotiva alemã para discutir preços de componentes e tecnologias e se esses entendimentos constituíram comportamento anticoncorrencial.

Se a acusação contra as três gigantes for comprovada haverá novas multas bilionárias. Como se sabe, o escândalo VW dieselgate afetou 11 milhões de veículos pelo mundo e somente nos Estados Unidos a Volkswagen terá de pagar mais de US$ 20 bilhões em multas.

Também de acordo com a Der Spiegel, a Volkswagen enviou a autoridades europeias há cerca de um ano denúncia contra si mesma declarando “suspeita de procedimentos contrários à lei antitruste”. A Daimler também teria denunciado a si mesma como forma de atenuar a pena em caso de comprovação da prática desleal.

A BMW negou a participação no cartel. "Os veículos da BMW não são manipulados e cumprem os respectivos requisitos legais”, informou a montadora em nota.

Em documento publicado na quarta-feira, 26, o Grupo VW não fez comentários sobre o cartel. Preferiu dizer apenas que é algo comum os fabricantes de automóveis em todo o mundo se envolverem em trocas de questões técnicas a fim de acelerar o ritmo e reduzir o custo das inovações.

Dieter Zetsche, presidente do Grupo Daimler, afirmou em entrevista recente que a montadora age dentro da lei. Também garantiu que projetos em andamento tocados em parceria com outras montadoras não serão limitados ou prejudicados pela investigação.



Tags: Cartel, BMW, Grupo VW, Volkswagen, Daimler, Dieter Zetsche, Adblue, dieselgate.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência