NOTÍCIAS
11/07/2017 | 18h50

Mercado

GM e Ford sobem, VW e Fiat descem no ano

Entre as 10 marcas mais vendidas, a maioria teve expansão de vendas


PEDRO KUTNEY, AB

Passado o primeiro semestre em que o mercado brasileiro de veículos leves finalmente comemorou pequeno crescimento de 4,25% na comparação com o mesmo período de 2016, GM/Chevrolet e Ford foram as duas principais vencedoras no ranking das 10 marcas mais vendidas do País, ambas com avanço porcentual de vendas acima de dois dígitos e elevação de participação. A GM conseguiu expandir sua liderança na primeira posição, enquanto a Ford retomou a quarta colocação. Com desempenho oposto, Fiat e Volkswagen continuaram a perder terreno.

A GM segue inabalável no topo do ranking, com 175,8 mil veículos emplacados no primeiro semestre do ano, garantindo alta de 11,6% na comparação com o mesmo intervalo do ano passado, em crescimento quase três vezes maior do que a média de expansão do mercado. A Chevrolet foi a marca que mais ganhou participação no período, 1,17 ponto porcentual, para 17,7%. O bom desempenho é em boa medida dependente de apenas dois carros: o hatch Onix e seu irmão sedã Prisma, que juntos representaram 65% das vendas, somando 114,4 mil emplacamentos.

Apesar de ainda conseguir se sustentar na segunda posição do ranking de marcas, a Fiat foi a maior perdedora do semestre, com queda nos licenciamentos de 6,1% (em oposição à alta do mercado), com quase 135 mil unidades vendidas, e market share reduzido em 1,5 ponto, para 13,61%. As vendas do recém-lançado Argo ainda não fizeram efeito e o carro mais vendido da marca no País, o Mobi, aparece apenas como o oitavo mais emplacado no período, depois vem o Uno em 13º e o Palio em 22º. Assim a Fiat segue se apoiando na boa performance de duas picapes, Toro e Strada, em primeiro e segundo lugares, respectivamente, entre os comerciais leves mais emplacados no primeiro semestre.

Segurando posição em terceiro no ranking, a Volkswagen também segue perdendo terreno. Cedeu 0,73 ponto porcentual de participação na comparação semestre contra semestre, ficando com 12,6%, enquanto as vendas no período apontaram desempenho negativo de 1,46%, com 125 mil emplacamentos. O campeão de vendas da marca, o Gol, hoje é o quinto mais vendido no Brasil, e depois dele o melhor colocado é o Fox, na 11ª colocação, enquanto Voyage e Up! aparecem quase empatados apenas nos 14º e 15º postos, respectivamente.

Com as boas vendas do Ka, terceiro carro mais emplacado do País no primeiro semestre do ano e responsável por pouco menos da metade do desempenho da marca, a Ford conseguiu recuperar a quarta posição do mercado, com 93,5 mil unidades emplacadas, crescimento de 15,8% e ganho de quase um ponto porcentual de market share, para 9,43%, ultrapassando assim Hyundai e Toyota – na primeira metade de 2016 a Ford era a sexta colocada. Também pesou a favor o momento de liquidação, com descontos atraentes, da atual geração do EcoSport, que será substituída por nova versão do modelo no fim deste mês.

A Hyundai, que terminou 2016 na inédita quarta posição do mercado brasileiro, desceu um degrau no semestre para a quinta colocação, perdendo 0,68 ponto de participação, agora em 9,41% – apenas 0,02 ponto atrás da Ford. Foram 93,3 mil emplacamentos no período, em queda de 2,8% sobre o mesmo intervalo do ano passado, mas o HB20 segue sendo o segundo carro mais vendido do País e responde por mais de 50% das vendas da marca coreana no Brasil.

Em sexto no ranking semestral, a Toyota também desceu uma posição no ranking na comparação com o mesmo período do ano passado, mas suas vendas seguem em crescimento, ainda que de tímidos 2,7%, abaixo da média do mercado, com 87,7 mil emplacamentos no semestre. A marca perdeu imperceptíveis 0,13 ponto de participação, está com 8,85%. Renovado no início deste ano, o sedã Corolla segue sendo o campeão de vendas da Toyota, é o sétimo carro mais vendido no Brasil hoje, com cerca de um terço dos licenciamentos da marca e à frente até mesmo do popular Etios, que figura em 12º lugar entre os mais comprados.

Em sétimo lugar, a Renault conseguiu sustentar posição graças às vendas diretas a locadoras, que representaram cerca de metade das vendas da marca no País no semestre. Os emplacamentos somaram 73,4 mil veículos, em alta de 5% alinhada com o desempenho médio do mercado no período. O market share ficou praticamente estável em 7,4%, com desempenho comercial apoiado no Sandero, o quarto carro mais emplacado do País, responsável por mais da metade dos licenciamentos da Renault nesses seis meses.

A Honda segue pregada na oitava posição do ranking de marcas, com 65 mil emplacamentos no semestre, o que garantiu crescimento de 3,66% no período e participação estável de 6,56%. O HR-V segue sendo o modelo mais vendido da marca e o SUV número um do País. Com certa limitação de produção e sem ver mercado suficiente para inaugurar sua segunda fábrica no Brasil, a Honda prefere ficar onde está, sem ganhar nem perder muito.

A Jeep, com o segundo e o terceiro SUVs mais vendidos do País (Compass e Renegade, respectivamente), foi a marca que teve o maior crescimento de vendas no primeiro semestre de 2017, de expressivos 53,4% na comparação com os mesmos seis meses de 2016. Com 40,3 mil emplacamentos no período, ficou em nono lugar no ranking, com market share de 4%, ou 1,3 ponto maior do que o verificado há um ano.

Fechando a lista das 10 marcas mais vendidas do País, a Nissan vendeu 34,1 mil veículos no primeiro semestre, com a segunda maior expansão de vendas, de 38,2%, e ganho de 0,85 ponto de participação, para 3,44%. O Kicks foi responsável por cerca de um terço dos licenciamentos da marca, superando March e Versa – os outros dois Nissan fabricados no Brasil.


Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 19/07/2017
Notícias recentes sobre carros elétricos se parecem mais com capítulos de novela

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement
DE CARRO POR AÍ | 21/07/2017
Como aumentar participação, vendas e lucros num mercado suicidamente competitivo?
AUTOINFORME | 19/07/2017
Autor dos Estados Unidos defende que beber e conduzir não deveria ser crime
DISTRIBUIÇÃO | 07/07/2017
Concessionárias ainda não organizaram estrutura para atuar na internet
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
INOVAÇÃO | 01/06/2017
Desordem pode fazer com que iniciativas de inovação fracasssem
Negócios | 08/03/2017
Tecnologia faz parte da receita para sair da crise
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes