Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Dana completa 70 anos de operações no Brasil
Fábrica de Gravataí (RS) é uma das seis operações que a Dana mantém no Brasil

Autopeças | 11/07/2017 | 15h31

Dana completa 70 anos de operações no Brasil

Empresa celebra marco projetando uma nova fase de crescimento
REDAÇÃO AB

Em 10 de julho de 1947, há exatos 70 anos, a Albarus, que posteriormente passou a adotar o nome de Dana iniciava suas atividades no Brasil, a partir de uma pequena oficina mecânica de precisão no Rio Grande do Sul, fundada pelo imigrante alemão Ricardo Bruno Albarus. Gradualmente, a oficina Albarus se especializava na produção de peças para a crescente frota de veículos importados que circulava pelo País na época, quando a indústria automobilística ainda não havia se estabelecido por aqui.

No ano seguinte, a empresa passou a produzir cruzetas da junta universal para o mercado de reposição de utilitários da Jeep. Pouco tempo depois, a Ford descobriu a Albarus, para a qual o primeiro pedido marcou o início de seu fornecimento para montadoras, embora ainda fosse para o mercado de reposição, uma vez que a indústria local só se estabeleceria no fim dos anos de 1950.

Foi por sugestão da própria Ford que Ricardo Albarus se aproximou da Dana Corporation, que ainda era denominada Spicer Manufacturing, fabricante norte-americana de eixos cardans, gerando uma associação entre as duas empresas. Também foi o primeiro investimento da Dana fora de seu país de origem. A Dana assumiu então o controle acionário da Albarus e a partir da década de 1970 constituiu-se um dos principais fornecedores de autopeças para montadoras instaladas no Brasil.

Atualmente, a Dana atua nas áreas de transmissão, vedação e gerenciamento térmico para montadoras de veículos leves, caminhões e veículos fora de estrada e industriais e possui operações em Gravataí (RS), Campinas, Diadema, Jundiaí, Limeira e Sorocaba (SP), que juntas empregam cerca de 3 mil pessoas.

“Em um momento como este, focamos na reflexão, reconhecimento e celebração. Quanto mais os anos passam, maior o convite para uma ponderação mais profunda, revisitando lembranças, fazendo o reconhecimento ao trabalho de muitos, que hoje damos continuidade. Nosso fundador no Brasil, o imigrante Ricardo Bruno Albarus, além de pioneiro, serve de exemplo do espírito empreendedor que sempre temos que exercer, dos desafios e oportunidades que nosso País apresenta, principalmente agora que precisamos retomar o ritmo de crescimento da indústria automobilística nacional”, afirma o diretor geral da Dana no Brasil, Raul Germany. “Temos muito orgulho da nossa história, sem dúvida um diferenciador, potencializado pela força de uma companhia global, com tradição e que investe para ser líder em tecnologias.”

A empresa vem desenvolvendo de forma estrutural seu plano de atuação visando o crescimento dos negócios. A aquisição, em dezembro de 2016, das operações de forja e usinagem de eixos dianteiros pesados e componentes da Sifco em Campinas e Jundiaí (SP) é parte desta estratégia. Este foi o maior investimento que a empresa realizou no Brasil, estimado em R$ 400 milhões (leia aqui).

“A tradição e o orgulho dos muitos feitos que celebramos são parte desta história que seguimos escrevendo, e servem sempre de inspiração para olharmos para a frente, para continuarmos melhorando, aprendendo, crescendo, buscando novas oportunidades e formas de melhor balancear os nossos negócios, nos aproximando de nossos clientes para que possamos melhor atender e assim ampliar também nossa presença nos mercados de reposição e exportação, fortalecidos pela segurança e a força da nossa gente, das nossas comunidades, dos nossos fornecedores e clientes”, finaliza Germany.

Tags: Dana, 70 anos, indústria automobilística.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
AB Inteligência