Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Indústria | 07/07/2017 | 16h42

Nissan prepara novo ciclo de investimentos

Plano de médio prazo para América Latina vai vigorar de 2018 a 2022
MÁRIO CURCIO, AB | De Resende (RJ)

A Nissan terá nos próximos dois ou três meses a definição de um novo ciclo de investimentos para a América Latina. A informação partiu de Marco Silva, novo presidente da montadora no Brasil e vice-presidente de finanças para a América Latina. “É uma nova estratégia de médio prazo. O ciclo ficará em vigor entre 2018 e 2022, com uma pequena sobreposição ao atual, válido até 2018”, afirma.

O plano que ainda está em vigor resultou na construção da fábrica de Resende (RJ) por R$ 2,6 bilhões e também em R$ 750 milhões extras nesta unidade para a nacionalização do utilitário esportivo Kicks (veja aqui).

Em entrevista durante a apresentação do carro nacional, Marco Silva admitiu que 2017 será melhor do que o ano passado como resultado daquilo que chamou de inércia positiva. “Vamos continuar, mas até quando? Ela tem de ter sustentação na economia.” O executivo evitou comentar a situação política, mas diz que fora do Brasil já há quem acredite que o último trimestre será de queda por aqui diante da persistência do quadro atual.

Sobre o programa Rota 2030, que substitui o Inovar-Auto, ele afirmou que os motores dos carros à venda no Brasil continuarão com uma defasagem tecnológica de quatro a cinco anos em relação à Europa não só pelo menor poder aquisitivo do brasileiro: “A atualização da indústria local para produzir esses motores é muito cara.”

O executivo também acredita que as fábricas manterão o desenvolvimento para utilização do etanol: “Ele continuará a ter espaço na indústria local principalmente como diferencial tecnológico e como maneira de se proteger contra novos aventureiros.”

Para a fábrica de Resende a expectativa é produzir mais de 80 mil veículos neste ano fiscal, que termina em 31 de março de 2018. “Desse total, 45% serão do Kicks.” O modelo estreou no Brasil em agosto de 2016, vindo do México. Sua produção local começou em abril de 2017 e já responde por metade dos 250 carros montados por dia. A nacionalização resultou em quatro novas versões, uma delas com transmissão manual de cinco marchas. Desde que estreou, na metade do ano passado, o carro fez a participação da Nissan em automóveis e comerciais leves subir de 2,7% para 3,4%.

Marco Silva assumiu a presidência da Nissan do Brasil em abril deste ano. O executivo está na montadora há dois anos. É graduado em Administração de Empresas pela Universidade Metodista de Piracicaba (SP), tem pós-graduação em Finanças e Auditoria pelo Instituto Nacional de Pós-Graduação (INPG) e mestrado em controle financeiro pela Fundação Getúlio Vargas. Antes da Nissan ele atuou na General Motors, onde ficou de 1991 a 2015.

Tags: Ciclo de investimentos, Marco Silva, Nissan, Kicks, Resende, etanol, motores, Rota 2030.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência