NOTÍCIAS
03/07/2017 | 20h00

Autopeças

Continental fará ESC em Várzea Paulista

Unidade já testa sistemas avançados de frenagem e estabilidade


PEDRO KUTNEY, AB | De Várzea Paulista (SP)

Pista de testes da Continental em Várzea Paulista: testes com ESC começaram muito antes da produção nacional
Já está em planejamento e execução na Alemanha a nova linha de produção de sistema eletrônico de estabilidade que será instalada pela Continental na sua fábrica de Várzea Paulista (SP), a pouco mais de 30 km de São Paulo. Sem revelar o valor do investimento, a empresa confirmou a fabricação nacional do ESC (Electronic Stability Control) a partir de 2019, um ano antes do início da obrigatoriedade legal da instalação do equipamento em todos os novos projetos de veículos no Brasil – só em 2022 será obrigatório para todos os modelos vendidos no País.

A Continental também não revela quem são os clientes já confirmados para o ESC que será produzido em sua unidade brasileira de sistemas de freios, mas a empresa fornece o equipamento globalmente para diversos fabricantes de veículos leves. No Brasil, por exemplo, Ford e FCA (Fiat Chrysler Automobiles) já usam o ESC da Continental importado, que é instalado como opcional ou mesmo de série em versões mais caras de carros produzidos aqui. Até agora, só a Bosch produz localmente o ESC, que chama de ESP (Electronic Stability Program) como sua marca registrada.

A fábrica de Várzea Paulista, que iniciou suas atividades em 1969 ainda como Teves, concentra todas as atividades de produção e desenvolvimento de sistemas de frenagem da Continental na América do Sul. A unidade já tem espaço reservado para a instalação dos equipamentos de produção de ESC, bem ao lado da atual linha de ABS – sistema antitravamento de rodas que se tornou obrigatório em todos os veículos no Brasil desde 2014 e assim motivou a empresa a produzi-lo localmente.

ESC NA TRILHA DO ABS

O ESC da Continental segue aqui caminho parecido com o trilhado antes pelo ABS, que teve sua linha de produção em Várzea Paulista inaugurada em abril de 2013 (leia aqui), também alguns meses antes da obrigatoriedade legal do item de segurança para todos os veículos no País. Com investimento divulgado à época de R$ 30 milhões e capacidade para montar até 900 mil módulos por ano, a linha de ABS foi importada da Alemanha após ser desativada lá, onde começou a operar em 2005, mas continua moderna e bem mantida, com 40 estações de montagem completamente automatizadas e duas manuais, operadas por apenas cinco empregados – que hoje trabalham em apenas um turno devido à retração do mercado nacional.

A unidade de ESC será zero-quilômetro, está sendo montada sob medida para a operação brasileira da Continental. Como o ESC também agrega as funções de antitravamento de rodas, com o passar de alguns anos deverá substituir integralmente a linha de ABS na fábrica – como já vem acontecendo em países onde o controle eletrônico de estabilidade é obrigatório. O ESC é mais complexo porque controla mais funções, o que será produzido em Várzea Paulista tem 51 peças, contra 33 do ABS em produção atualmente. Com exceção da caixa de alumínio do módulo, todos os componentes do ABS são importados. A Continental tem intenção de desenvolver mais fornecedores locais para o ESC.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 22/11/2017
Frota brasileira de 42 milhões exige controle apropriado

Esta coluna é apoiada por:

Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
AUTOINFORME | 09/11/2017
Luguez firmou parceria com o governo de Ohio
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
DE CARRO POR AÍ | 24/11/2017
Renault pode produzir no Brasil o novo Niva em 2021
INOVAÇÃO | 25/10/2017
Indústria precisa questionar qual será o seu papel no futuro
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade