Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Crise reduz lucro da Marcopolo em 63% no trimestre

Balanço | 09/05/2017 | 16h03

Crise reduz lucro da Marcopolo em 63% no trimestre

Rescisões de contratos e mix de produtos leves no Brasil influenciam resultado

REDAÇÃO AB

O lucro líquido da Marcopolo fechou o primeiro trimestre em R$ 3,2 milhões, cifra 63,6% abaixo da verificada em igual período do ano passado, quando a empresa havia registrado ganhos de R$ 8,8milhões, informa em comunicado. O resultado foi influenciado por perdas no resultado bruto, com a conclusão da compra da Neobus, pelo mix de produtos mais leves destinados ao mercado brasileiro e ainda pelas provisões com rescisões de contratos, decorrentes de demissões a partir de reestruturação promovida pela empresa.

O lucro bruto atingiu os R$ 61 milhões nos três primeiros meses do ano, com margem de 11%, contra os R$ 56,2 milhões e margem de 13% de um ano antes. A margem foi pressionada pela redução de dias de faturamento, decorrente de férias coletivas concedidas entre janeiro e março, bem como pela flutuação do câmbio no período, com valorização do real frente ao dólar, afetando as margens na exportação.

Contudo, a fabricante de carrocerias de ônibus apurou crescimento de 29,5% no faturamento líquido do primeiro trimestre, passando de R$ 428,3 milhões para R$ 554,6 milhões em um ano. O resultado é reflexo do crescimento de 75,9% das exportações e de 107,9% das operações internacionais, que representaram 73% da receita total da empresa no período. A receita líquida também foi positivamente impactada em R$ 84,9 milhões pela conclusão da compra da Neobus.

O diretor de relações com investidores e de controladoria e finanças da empresa, José Antonio Valiati, lembra que o desempenho da Neobus passou a ser incluído no balanço da Marcopolo no segundo semestre de 2016, a partir de agosto. “Mesmo assim, sem a consolidação, a receita líquida da Marcopolo foi 9,7% superior em relação ao primeiro trimestre de 2016“.

A produção nos primeiros três meses fechou em 2.010 unidades, das quais 1.394 unidades fabricadas no Brasil, alta de 29,4% no comparativo anual; e 616 unidades produzidas no exterior, também aumento de 113,9%. “Apesar de ter dado sinais de início de retomada, o mercado brasileiro de ônibus apresentou, no trimestre, volumes ainda abaixo dos níveis históricos e normais de produção, o que impediu um melhor desempenho. A produção total brasileira foi 33,5% inferior à do trimestre de 2016, com 1.366 unidades contra as 2.055 unidades produzidas no mesmo período do ano passado”, reforça o executivo.

A participação de mercado da Marcopolo alcançou 46,8% no período sobre 32,2% do ano passado. No segmento rodoviário, houve aumento de 16 pontos porcentuais chegando a 68,2% de participação neste mercado, bem como o aumento de 35,9 pontos porcentuais no mercado de micros, totalizando 52%, devido à consolidação dos volumes fabricados pela Neobus.

Segundo a empresa, o mercado brasileiro de ônibus começa a mostrar sinais de recuperação. As perspectivas de demanda, tanto no mercado interno como no externo, indicam retomada nas vendas, especialmente no segmento de rodoviários. A regulamentação de acessibilidade, que passa a vigorar a partir de julho deste ano, e a obrigatoriedade de redução da idade média da frota nas linhas interestaduais e internacionais pode trazer benefícios ao segmento.

No de urbanos, a queda no primeiro trimestre demonstra que a demanda segue pressionada, especialmente devido às incertezas relacionadas aos reajustes das tarifas e indefinições acerca de processos de licitação para a renovação de concessões das linhas municipais. No mercado externo, a demanda continua forte e as exportações permanecem aquecidas em todos os segmentos. As unidades fora do Brasil confirmam a expectativa de crescimento, com destaque para a controlada Polomex, localizada no México.



Tags: Marcopolo, lucro, faturamento, Neobus.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência