NOTÍCIAS
28/04/2017 | 19h20

Autopeças

MWM aposta alto no mercado de reposição

Fabricante de motores diesel amplia linha de peças sobressalentes


PEDRO KUTNEY, AB

Estande da MWM na Automec: foco maior no aftermarket com ofertas de novas linhas de peças
A fabricante de motores diesel MWM aumentou sensivelmente seu foco no mercado de reposição. A unidade de negócios de distribuição e venda de peças sobressalentes para motor e agregados da empresa já representa cerca de 20% do faturamento no Brasil, com portfólio de 17 mil itens em três linhas de produtos distribuídos por algo como 500 representantes. “Existem 5 milhões de veículos diesel rodando no País, sendo 2,6 milhões com motores MWM. Temos uma das maiores redes para atender esse público, o que reforça nossa estratégia de buscar clientes no segmento e lançar mais produtos. Nos últimos 16 meses fizemos a maior revitalização da área de aftermarket da história de 64 anos da companhia, nunca tivemos um foco tão grade quanto agora nessa área”, conta Thomas Püschel, diretor de marketing e vendas de motores e peças.

A continuada retração por três anos seguidos nas vendas de veículos comerciais no País “acendeu a necessidade de colocar maior foco no aftermarket, para equilibrar o faturamento”, segundo Püschel, que estima avanço de 6% no comércio de peças este ano, após anotar faturamento estável em 2016, quando parte considerável da frota ficou parada por falta de fretes e, consequentemente, reduziu o volume de reparos necessários. “Sentimos a queda em 2016, mas existem bons indícios de recuperação agora. Nossa expectativa é conservadora, pode ser mais de 6%. Focamos no crescimento sustentável de 10% ao ano. No primeiro trimestre já observamos a retomada dos negócios, porque depois de um ano muito ruim os caminhões estão voltando a rodar e precisar de manutenção”, sustenta o executivo, citando o aumento já registrado da passagem de veículos diesel por pedágios. Ele espera por maior movimento no segundo semestre.

Para promover e sustentar o crescimento da unidade de aftermarket, a MWM fez mudanças e investimentos no setor, que hoje conta com 200 pessoas, entre empregados diretos e terceirizados. O principal deles foi a inauguração, no ano passado, de um novo centro de distribuição de componentes em Jundiaí (SP) – antes essa estrutura ficava abrigada dentro da desativada fábrica de motores e caminhões International em Canoas (RS), com maiores dificuldades logísticas para entregas no País todo. Também foi promovida uma reestruturação da engenharia da empresa para acompanhar mais de perto o desenvolvimento de peças, fornecedores e validações. A própria MWM produz algumas partes de seu portfólio de reposição, como os eixos de comando de válvulas feitos na planta de Jesus Maria, na Argentina, mas compra a maioria dos itens de cerca de 500 fornecedores locais e globais.

“Desenhamos do zero o novo centro, de acordo com nossas necessidades, e ganhamos muita eficiência com a transferência do estoque para Jundiaí. Também adotamos o lean logistics (logística enxuta), que aumentou de 20% a 30% a eficácia dos processos, com redução de tempo e pessoas para executar tarefas como embalagem de peças, por exemplo”, diz Püschel.

NOVOS PRODUTOS E MAIS PROMOÇÃO

Depois de arrumar a casa do aftermarket, o objetivo agora é continuar a elevar a oferta de todas as três linhas de produtos, com mais lançamentos, e fixar o nome da MWM no segmento de reposição por meio de campanhas com distribuidores e reparadores que vão se intensificar nos próximos cinco meses, para aumentar a exposição de marca. Parte dessa estratégia foi aplicada na volta da empresa com um amplo estande à Aumotec, principal feira do setor que acontece de 25 a 29 deste mês no São Paulo Expo (leia aqui), com mais de 1,5 mil expositores e algo como 70 mil visitantes.

Além de expor sua linha de peças Genuínas (componentes com especificações originais de produção destinados à reposição), a MWM também apresenta na Automec lançamentos (são 40 só este mês) da linha multimarca Master Parts, que hoje soma 250 itens destinados à reparação de motores e agregados de qualquer fabricante. “Queremos ser o maior fornecedor do segmento diesel”, afirma Püschel. A novidade é a estreia de uma terceira categoria de componentes exclusivos para motores MWM, chamada Opcional. “É uma estratégia para competir no mercado paralelo e oferecer uma alternativa da nossa própria marca para a manutenção de veículos mais antigos”, explica o executivo. Todas as linhas, segundo ele, passam por validações da engenharia e têm garantia da MWM.

Também está prevista a expansão internacional das operações de aftermarket da MWM, com participação em feiras no exterior, inauguração de um centro de distribuição na África do Sul, introdução de canais de distribuição na Ucrânia e Rússia, além de fortalecimento da rede na Argentina.

Subsidiária da norte-americana Navistar, que também fabrica caminhões e ônibus International, a MWM produz motores atualmente na fábrica de Santo Amaro, em São Paulo, e fornece para veículos MAN, Volvo e Agrale, além de diversos fabricantes de máquinas agrícolas, embarcações e conjuntos geradores.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 19/07/2017
Notícias recentes sobre carros elétricos se parecem mais com capítulos de novela

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement
AUTOINFORME | 19/07/2017
Autor dos Estados Unidos defende que beber e conduzir não deveria ser crime
DE CARRO POR AÍ | 14/07/2017
Vendas do mais compacto dos Fiat começam a crescer
DISTRIBUIÇÃO | 07/07/2017
Concessionárias ainda não organizaram estrutura para atuar na internet
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
INOVAÇÃO | 01/06/2017
Desordem pode fazer com que iniciativas de inovação fracasssem
Negócios | 08/03/2017
Tecnologia faz parte da receita para sair da crise
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes