Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Tecnologia | 18/04/2017 | 17h17

Carro autônomo: consumidores estão mais receosos

J.D. Power indica que as pessoas não confiam no sistema

REDAÇÃO AB

A expectativa dos consumidores acerca dos carros autônomos enfrenta um paradoxo: quanto mais a tecnologia está perto de chegar ao mercado, menor é a disposição para confiar a condução do carro a um sistema robotizado. Esta é uma das conclusões do U.S. Tech Choice Study, feito pela J.D. Power entre janeiro e fevereiro deste ano com 8,5 mil norte-americanos que compraram carro novo de diversas marcas nos últimos cinco anos. O foco da pesquisa é entender o interesse dos consumidores por diversas tecnologias.

Segundo a consultoria, a maioria dos entrevistados se mostrou mais receosa sobre a condução autônoma do que na edição passada do levantamento. Entre a Geração Z, que engloba pessoas nascidas entre 1995 e 2004, 22% disseram que definitivamente não confiariam em um carro autoguiado – 11 pontos porcentuais a mais do que no estudo anterior. Parcela de 23% disse que provavelmente não confiariam na tecnologia. Entre os Baby Boomers, geração que vai de 1946 a 1964, chega a 81% o número de entrevistados com receio de usar veículos autônomos. Em 2016 este porcentual era de 77%.

“Na maioria das vezes, quando a tecnologia chega mais perto de virar realidade a aceitação e curiosidade do consumidor aumenta. Neste caso acontece justamente o contrário”, apontou em comunicado Kristin Kolodge, diretor executivo da J.D. Power. Segundo ele, o sistema é complexo demais, o que faz com que as pessoas precisem se familiarizar. A expectativa é que a condução totalmente automatizada comece a chegar ao mercado a partir de 2020. Até lá as montadoras deverão investir não só em tecnologia, mas em marketing e na divulgação da novidade, aponta a consultoria.

Kolodge cita o exemplo da Tesla. A montadora já oferece sistema semiautônomo em seus veículos e, portanto, tem clientes que se mostraram bem mais dispostos na pesquisa a usar carros totalmente autoguiados do que as pessoas que possuem modelos de outras marcas.

Outra ironia do levantamento é que, enquanto a confiança em autônomos diminuiu, o interesse em recursos de assistência à direção e prevenção de acidentes cresceu. “Quando sistemas como controle de velocidade de cruzeiro (ACC), frenagem automática e alerta de ponto-cego se tornarem mais conhecidos, os compradores de carros ganharão confiança para tirar as mãos do volante", avalia.

Segundo a J.D. Power, os recursos mais desejados pela maior parte dos consumidores que participaram da pesquisa estão relacionados à segurança. A exceção é a Geração Z, que prioriza conectividade e infoentretenimento.

Tags: carro autônomo, pesquisa, confiança, J.D.Power.


Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
AB Inteligência