Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Mitsubishi deve demitir 350 até maio, diz sindicato
Audiência entre representantes da Mitsubishi e sindicato dos metalúrgicos de Catalão na Justiça do Trabalho

Trabalho | 13/04/2017 | 19h17

Mitsubishi deve demitir 350 até maio, diz sindicato

Montadora já dispensou 60 trabalhadores de área administrativa e engenharia

REDAÇÃO AB

A Mitsubishi deve demitir até maio 350 trabalhadores de sua fábrica localizada em Catalão (GO), segundo informa o sindicato local, que confirmou a demissão de 60 pessoas até o dia 6 deste mês. De acordo com a entidade, a empresa alegou queda na produção e nas vendas.

Procurada, a Mitsubishi afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não está se pronunciando neste momento sobre o assunto.

No último dia 31 de março encerrou a estabilidade de emprego na unidade, decisão acordada entre empresa e sindicato no fim de 2016. Contudo, o sindicato relata que em 28 de março recebeu comunicado da montadora afirmando que “até o momento inexiste a situação de demissões em massa”.

Em protesto, os empregados paralisaram as atividades da unidade por duas horas na manhã do dia 7. Sob a ameaça de manter a linha de produção parada, os representantes da montadora marcaram uma mesa de negociação com o sindicato no próprio dia 7, mas a reunião terminou sem avanço. Com o impasse, o sindicato solicitou uma mediação da Justiça do Trabalho, realizada na parte da tarde.

Na audiência, foi acordado que até 1º de maio não poderá haver dispensas e o sindicato se dispôs a debater medidas alternativas com a empresa. Além disso, será pago um abono no valor de R$ 3.500 para os demitidos no dia 6 de abril e vale alimentação referente a três meses no valor mensal de R$ 358,00.

“Conseguimos um prazo para os trabalhadores respirarem um pouco mais aliviados, mas a luta continua intensamente. Até o dia 30 de abril a Mitsubishi não poderá dispensar ninguém e, enquanto isso, o sindicato vai discutir as possibilidades existentes que possam evitar as outras demissões que a empresa alega precisar fazer. Este é um momento muito delicado e preocupante, mas o sindicato está empenhado em encontrar uma saída. Nossa cidade não comporta mais gente desempregada. Nossa luta é pela garantia de emprego”, afirmou o presidente do Simecat, Carlos Albino.

A entidade citou o exemplo de Anápolis, onde fica a fábrica da Hyndai-Caoa, onde os metalúrgicos conquistaram estabilidade de emprego até novembro com redução de jornada e de salário em contrapartida.



Tags: Mitsubishi, demissões, Catalão, sindicato.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência