Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
 Produção de motos cresce 1,6% no trimestre

Indústria | 12/04/2017 | 16h38

Produção de motos cresce 1,6% no trimestre

Ritmo ainda fraco no setor leva indústrias a demitir cerca de mil trabalhadores
MÁRIO CURCIO, AB

A produção de motos no primeiro trimestre de 2017 somou 231,4 mil unidades, registrando leve alta de 1,6% sobre o mesmo período do ano passado, quando as fabricantes de Manaus tiraram o pé do acelerador por causa de estoques elevados.

O fraco ritmo que ainda persiste no setor de motocicletas levou as fabricantes de motos e motopeças instaladas em Manaus a demitir.

“Não temos um número exato, mas creio que cerca de mil trabalhadores foram desligados neste primeiro trimestre”, diz Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, entidade que reúne fabricantes do setor.

O segmento tinha 18 mil trabalhadores em 2011, mas com os novos cortes caiu para aproximados 12 mil. “O número atual tende a se manter nos próximos meses, de agora em diante deve haver apenas cortes pontuais ou a não reposição daqueles que deixarem o emprego”, diz Fermanian.

- Veja aqui os números da Abraciclo
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência

A análise por faixa de cilindrada indica que a produção de modelos até 160 cc (os mais relevantes em volume) registrou queda de 4,6% ante o primeiro trimestre de 2016. O segmento imediatamente acima, de 161 a 449 cc, anotou alta de 44,8%, ajudado por lançamentos como a Honda XRE 190 e o scooter SH 300i.

A exportação no primeiro trimestre somou 17,4 mil unidades e crescimento de 26,9% sobre o mesmo período de 2016. Até o fim do ano a estimativa é de alta de 57,6%, mas com um volume total pequeno, de 93 mil embarques.

O principal destino das motos brasileiras é a Argentina, que absorveu 77,5% das vendas externas do primeiro trimestre. Colômbia, Canadá e Estados Unidos vêm a seguir, ocupando o segundo, terceiro e quarto lugares. Neste primeiro trimestre o País também exportou para nações como Austrália, México, Costa Rica, Uruguai, Guatemala e Nicarágua.

A maior dificuldade que as motos brasileiras enfrentam é seu alto custo ante os modelos chineses vendidos nesses mercados.

Em entrevista coletiva concedida na quarta-feira, 12, os fabricantes de motos revelaram também que as vendas por Crédito Direto ao Consumidor (CDC) ganharam espaço no primeiro trimestre (leia aqui).

Tags: Motos, motocicletas, produção, Abraciclo, Marcos Fermanian, exportações.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência