Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Pedestres devem levar vantagem sobre carros autônomos

Tecnologia | 28/03/2017 | 16h25

Pedestres devem levar vantagem sobre carros autônomos

Para especialista, pessoas poderão abusar da preferência nas vias

REDAÇÃO AB

A disrupção provocada pelo carro autônomo vai muito além do aspecto tecnológico. Um dos comportamentos que os especialistas estudam é o dos pedestres que, na maior parte das vezes, fazem contato visual com o motorista antes de atravessar uma rua, lógica que muda quando não há uma pessoa conduzindo o carro. Estudo publicado recentemente por Adam Millard-Ball, professor da Universidade da Califórnia, indica que o comportamento dos transeuntes e dos motoristas varia de forma significativa entre diferentes cidades e pode mudar completamente com a chegada dos veículos autônomos.

Segundo o especialista, antes de cruzar uma rua o pedestre pondera sobre o risco de ser atropelado se atravessar correndo, sobre a espera para que possa ir adiante e até sobre a possibilidade de ir por outro caminho. Segundo ele, há um código comportamental entre motoristas e caminhantes. O carro autônomo chega ao mercado justamente com a promessa de tornar o trânsito mais seguro e, portanto, deverá garantir que a preferência seja sempre do pedestre, aponta Millard-Ball. Sempre que os radares dos modelos automatizados detectarem uma pessoa à frente, o sistema vai frear o carro. Em teoria, isso garante zero chance de atropelamento.

Ainda que esteja longe de soar como um problema, essa mudança deve ter um efeito colateral importante no comportamento: como sabe que o automóvel sempre vai parar, o pedestre tende a deixar de esperar para atravessar a via. O abuso dessa vantagem pode trazer consequências importantes ao tráfego das grandes cidades, fazendo com que uma simples ida à região central se transforme em longa viagem, já que o trajeto será muito interrompido.

O estudo indica que, caso isso aconteça, o carro pode perder a competitividade como meio de transporte. Ainda que as pessoas ganhem tempo para checar e-mails ou assistir a um seriando quando estão no carro sem dirigir, ir a pé ou de transporte público poderá ser opção mais rápida e eficiente, aponta. Millard-Ball avalia que a lógica urbana também será impactada, com vias rápidas isoladas por muros para que os pedestres não atravessem.

O especialista acredita que, com tecnologia voltada a prevenir atropelamentos, os pedestres poderão ser responsabilizados pelos acidentes em que se envolvem. A legislação dos países também deve avançar para que transeuntes sejam penalizados e multados caso tenham atitudes irresponsáveis que atrapalhem a mobilidade. Assim, mesmo quando a tecnologia tornar os carros mais confiáveis, a ameaça à segurança viária vai continuar vindo do ser humano.



Tags: carro autônomo, pedestre, mudança, comportamento, segurança.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência