Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Distribuição | 23/03/2017 | 19h03

Dekra cresce na crise com a missão alavancar concessionárias

No médio prazo, Brasil é mercado prioritário para companhia alemã

GIOVANNA RIATO, AB

A alemã Dekra está no Brasil há 30 anos, mas nos últimos dois resolveu pisar fundo para acelerar os negócios localmente. A empresa é famosa por serviços de vistoria de carros – prestado a seguradoras e locadoras, por exemplo. A grande oportunidade que a empresa enxerga no mercado nacional, no entanto, está em outro setor: nas concessionárias. A divisão de negócios de consultoria, responsável por essa atuação, chegou ao Brasil só em 2013 com a tarefa de implementar ações para melhorar a performance dos distribuidores no mercado.

Impactadas fortemente pela crise de vendas de veículos novos, as empresas do segmento buscam maneiras de melhorar as receitas. É justamente nessa tarefa que a Dekra garante que pode ajudar. “Somos parceiros globais do setor da distribuição. Oferecemos serviços para melhorar a performance e a rentabilidade das concessionárias”, conta Miguel Silveira, diretor da divisão automotiva da companhia.

Ao lado dos Estados Unidos e da China, ele conta que o Brasil é o grande alvo do plano estratégico da companhia para os próximos anos. As Américas têm atualmente participação de 4% nos negócios globais da empresa. O objetivo é elevar este número para 10% até 2020. “Queremos aumentar a carteira de clientes, buscar volumes”, diz, entregando que a Dekra já presta serviços para as redes da Volkswagen, da Renault, da Audi, da Posche e da BMW no Brasil. Globalmente, a companhia já atendeu todas as montadoras possíveis, conta Silveira.

A ambição para o mercado local é grande. Em 2016 o faturamento da divisão automotiva da Dekra cresceu 16% no mundo. No Brasil este avanço foi de 18%. Este ano o objetivo é nada menos do que dobrar as receitas com o segmento no país, com evolução de 50%. “Estamos desenvolvendo negócio com investimento em sistemas, em tecnologia e, principalmente, em pessoas”, conta. São 300 funcionários diretos no Brasil e 2,5 mil indiretos, considerando todas as áreas da empresa.

BRASIL PERCEBEU IMPORTÂNCIA DOS SEMINOVOS E DO PÓS-VENDA

O interesse da Dekra de crescer no Brasil é proporcional à necessidade das concessionárias de melhorar suas operações para contornar a crise. “O Brasil teve 10 anos de crescimento das vendas de veículos novos. A rede garantia negócios sem esforço muito grande”, diz Silveira. Ele lembra que, com a contração da demanda por novos, as empresas enfim despertaram para a necessidade de fazer com que toda a operação funcione bem, incluindo os departamentos de serviços e de pós-venda. “Dá para ganhar muito dinheiro vendendo carro usado. Em mercados maduros, como a Europa, percebemos isso há 20 anos. O Brasil começou a despertar para este aspecto agora.”

Para ele, as montadoras e distribuidores oficiais estão perdendo grande oportunidade ao deixar essa fatia do mercado para lojistas. “Em muitas marcas o cliente é bem atendido ao comprar um carro novo de R$ 40 mil, mas tratado sem qualquer cuidado quando compra um seminovo de R$ 120 mil, que traz margem muito melhor”, conta. Para evitar este tipo de desequilíbrio, a companhia desenvolveu um projeto de seminovos para uma de suas clientes. Silveira prefere não revelar o nome da companhia.

Inicialmente a Dekra trabalhou com 40 grupos de distribuição ligados à marca. Ele aponta que, ainda que não esteja em toda a rede, a iniciativa já mostrou clara redução dos estoques de veículos usados, com aumento de 12% nas vendas, melhorou a taxa de captação e garantiu margens mais interessantes – subiram de 7% para 10%. Como efeito colateral, a empresa identificou leve crescimento na demanda por carros zero quilômetro.

A companhia desenvolve iniciativa do gênero para a BMW no Brasil, mas voltada ao pós-venda. A Dekra é parceira global da montadora há 50 anos e localizou um programa formulado para otimizar e alavancar área de funilaria e pintura da rede. “Há coisas específicas da marca, como o uso de aço e alumínio combinados na corroceria. Fizemos auditoria das concessionárias e desenvolvemos conceito com plano de treinamento de 120 horas para que elas se adaptassem aos padrões globais.” Silveira diz que, com isso, as concessionárias passaram a deter conhecimento exclusivo sobre os carros da marca, superior ao oferecido pela rede independente.

Por enquanto, a iniciativa foi desenvolvida em apenas algumas lojas. Os resultados, diz, compensam o investimento elevado, que é recuperado em 17 meses, assegura. “Melhorou em 12% o faturamento, em 7% a passagem de clientes e em 67% o aproveitamento de mercado, que são os serviços que não eram feitos na concessionária e passaram a ser”, diz. Segundo Silveira, o resultado é bom para a montadora, para a concessionária e, claro, para o cliente.



Tags: Dekra, concessionárias, distribuição.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência