Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Importados despencam e fevereiro decepciona
Antonio Megale, presidente da Anfavea (foto: Mário Curcio)

Mercado | 07/03/2017 | 19h00

Importados despencam e fevereiro decepciona

Quase toda a queda de vendas se concentrou em veículos estrangeiros

PEDRO KUTNEY, AB

A nova queda de vendas no País em fevereiro ficou quase que inteiramente concentrada nos veículos importados, em sua maioria trazidos da Argentina e do México pelos próprios fabricantes instalados no Brasil e associados à Anfavea. No primeiro bimestre, os 282,9 mil emplacamentos registrados significaram retração de 6,4% em comparação com o mesmo período de 2016.

Contudo, considerando somente modelos nacionais, o recuo é bem menor, de 0,9%, com 252,9 mil unidades vendidas. Já os mirrados 29,9 mil estrangeiros emplacados entre janeiro e fevereiro representam baixa expressiva de 36,1%, puxando a média geral para baixo. Não fosse por isso, os números indicariam um mercado praticamente estável em relação ao ano passado.

- Veja aqui os dados do 1º bimestre
- Veja aqui outros dados da Anfavea
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência

Assim 2017 começou com o nível mais baixo em 10 anos de participação de veículos importados nas vendas totais do País, que no primeiro bimestre foi de apenas 10,6%. “As importações já vêm em processo de queda nos últimos anos [desde a sobretaxação imposta a partir de 2012], mas agora muitas empresas que só importavam passaram a produzir no Brasil e o consumidor compra modelos que antes só vinham de fora”, destaca Antonio Megale, presidente da Anfavea, para explicar parte da queda mais acelerada dos emplacamentos de modelos estrangeiros. “Isso é um reflexo do Inovar-Auto, que teve como objetivo fazer com que o Brasil não fosse apenas um grande mercado, mas também um grande produtor de veículos. Isso atraiu investimentos de muitas empresas em fabricação local que o programa incentivou a fazer aqui”, acrescenta.

Com as restrições e os incentivos do Inovar-Auto, nos últimos dois anos Chery, BMW, Audi, Mercedes-Benz e Jaguar Land Rover inauguraram fábricas no Brasil e lançaram carros montados no País – com grande volume de componentes importados mas classificados como nacionais – que hoje representam a maior parte das vendas dessas marcas. Outras montadoras também nacionalizaram a montagem de alguns modelos. Contudo, embora essa nacionalização tenha efeito estatístico na redução de importações, o dólar mais caro inviabilizou a venda de muitos modelos estrangeiros e todos os importadores, com ou sem fábricas no País, reduziram seus pedidos. “Deve haver uma estabilização para baixo nas vendas de importados”, avalia Megale.

MÊS DECEPCIONANTE

Sem a ajuda dos importados, o fato é que fevereiro foi outro mês de queda nas vendas, com 135,6 mil veículos novos licenciados, em declínio de 7,8% sobre janeiro e de 7,6% sobre o mesmo mês de 2016. “Os números não foram bons, mais uma vez tivemos um mês decepcionante, abaixo do que esperávamos”, reconhece Megale.

O dirigente credita o mau resultado ao pequeno número de dias úteis de fevereiro, apenas 18. “Houve crescimento de 12% na média diária de vendas, mas como o mês foi curto o número final de emplacamentos foi bastante baixo”, resume. “O carnaval nos últimos dias do mês freou os negócios. Tivemos ainda o problema de segurança com a paralisação por mais de 10 dias da polícia militar no Espírito Santo, que afetou também o Rio de Janeiro. São todos fatores que contribuíram para piorar o ambiente.”

Megale também citou o baixo nível de crédito para compra de veículos: “As concessões tinham melhorado em janeiro, mas voltaram a piorar em fevereiro. No mês apenas 51,3% das vendas foram financiadas, é um nível muito fraco”, destacou.

A expectativa é de maior evolução do mercado neste mês. “Isso deve ocorrer porque janeiro e fevereiro são meses historicamente fracos em vendas. Março deve ser melhor até pelo maior número de dias úteis, mas não esperamos nenhuma recuperação expressiva. Melhora mesmo só deve acontecer a partir do próximo trimestre”, estima.

Assista abaixo reportagem da ABTV sobre os resultados do setor no primeiro bimestre:



Tags: Anfavea, mercado, vendas, projeções, resultado, primeiro bimestre 2017, importados, nacionais.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência