Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Por carro autônomo, Ford fará investimento de US$ 1 bi em startup Argo AI
A partir da esquerda: Peter Rander, COO da Argo AI, Mark Fields, presidente da Ford, Bryan Salesky, presidente e CEO da Argo AI, e Raj Nair, vice-presidente de desenvolvimento de produto Ford (Foto: Business Wire)

Tecnologia | 10/02/2017 | 20h26

Por carro autônomo, Ford fará investimento de US$ 1 bi em startup Argo AI

Especialista em inteligência artificial desenvolverá software de direção virtual

REDAÇÃO AB

A Ford anuncia um investimento de US$ 1 bilhão pelos próximos cinco anos na Argo AI, startup do ramo de inteligência artificial para desenvolver um sistema de direção virtual para carro autônomo, como parte do plano da montadora divulgado em agosto do ano passado e que prevê o lançamento de seu primeiro modelo em 2021 (leia aqui).

Especializada em robótica e inteligência artificial, a empresa Argo AI foi fundada por Bryan Salesky, presidente e ex-líder de equipe de carro autônomo do Google, bem como pelo seu diretor e chefe de operações Peter Rander, também ex-líder de equipe de carro autônomo do Uber. Ambos são ex-alunos do Centro Nacional de Engenharia Robótica da Carnegie Mellon, da cidade de Pittsburgh, na Pensilvânia (EUA).

Pelo acordo, a Ford será acionista majoritária da Argo AI, que terá como foco inicial participar do desenvolvimento de veículos autônomos da montadora, com previsão de no futuro licenciar sua tecnologia para outras empresas. Seu conselho terá cinco membros: além de Salesky e Rander, farão parte John Casesa, vice-presidente de estratégia global da Ford, Raj Nair, vice-presidente de desenvolvimento do produto da Ford, além de um diretor independente.

A equipe atual da Ford que desenvolve o sistema de direção virtual – um software que atua como o cérebro dos veículos autônomos – será combinado com a experiência em robótica da Argo AI, cuja parceria contribuirá para o desenvolvimento do sistema de direção virtual dos carros autônomos de nível SAE 4 da Ford, quando o veículo tem plena autonomia. A montadora informa que continuará à frente do projeto de desenvolvimento do hardware da sua plataforma de veículo autônomo, bem como da integração dos sistemas, produção, design e gestão de política regulatória.

“A próxima década será definida pela automação do automóvel e os veículos autônomos terão um impacto tão significativo na sociedade como a linha de montagem da Ford teve há 100 anos”, disse em nota o presidente global da Ford, Mark Fields. “Com a expansão da Ford como empresa de automóveis e mobilidade, acreditamos que o investimento na Argo AI criará um valor significativo para nossos acionistas, fortalecendo nossa liderança para o lançamento de veículos autônomos no mercado no curto prazo e criando tecnologia que poderá ser licenciada para outros no futuro”, completou.

“Estamos em um ponto de inflexão no uso da inteligência artificial em uma ampla gama de aplicações e a implementação bem-sucedida de carros autônomos vai mudar fundamentalmente como as pessoas e produtos são transportados”, afirmou Bryan Salesky, um dos fundadores. “Estamos empolgados com o compromisso e visão da Ford quanto ao futuro da mobilidade e acreditamos que essa parceria permitirá a venda de carros autônomos em uma escala que tornará a mobilidade acessível para todos.”

A divisão Ford Smart Mobility também fará parte desse relacionamento, liderando a estratégia de venda dos veículos autônomos, cujo plano prevê soluções para o transporte de mercadorias e de pessoas, incluindo compartilhamento e frotas de entregas.



Tags: Ford, investimento, carro autônomo, inteligência artificial, Argo AI, Google, Uber.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência