Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Executivo da Volkswagen é preso por dieselgate nos EUA

Internacional | 09/01/2017 | 15h18

Executivo da Volkswagen é preso por dieselgate nos EUA

Liderança da companhia teria a informação da fraude desde julho de 2015
REDAÇÃO AB

O dieselgate, escândalo causado pela fraude nas emissões de 11 milhões de carros do Grupo Volkswagen, teve mais um desdobramento nos Estados Unidos. No sábado, 7, o FBI prendeu Oliver Schmidt, que liderou o departamento de compliance regulatório da companhia nos Estados Unidos entre 2014 e 2015. O executivo teria sido levado sob custódia na Flórida, segundo informação do jornal New York Times.

Segundo a acusação, Schmidt estava ciente de que carros da montadora eram vendidos na região equipados com dispositivos para burlar o controle de emissões. Ele teria, inclusive, falado com o conselho de administração da empresa sobre a situação em julho de 2015, pouco antes de o dieselgate ser revelado, o que aconteceu em setembro. Na ocasião o executivo supostamente garantiu aos líderes da companhia que as autoridades dos Estados Unidos não sabiam da trapaça e teve autorização para continuar infringindo as leis.

Informações da acusação apontam que, na reunião, Schmidt chegou a calcular os riscos da fraude ao tratar do que poderia acontecer na reunião que o Grupo Volkswagen tinha agendada com membros de órgãos reguladores da Califórnia. A análise passava até mesmo pela possibilidade mais negativa, de que o dispositivo que falsificava as emissões fosse descoberto e a montadora processada.

As informações foram obtidas pelo FBI em trocas de e-mails internos do Grupo Volkswagen e com depoimentos de testemunhas anônimas da área de desenvolvimento de motores da companhia. Segundo estas informações, Schmidt desenhou plano para que o dispositivo fraudador não fosse descoberto depois de participar de uma série de reuniões com a liderança da montadora na Alemanha e nos Estados Unidos.

Em um dos e-mails interceptados pelas autoridades, o executivo pede a um funcionário para cancelar a presença de um terceiro colaborador em uma reunião. Segundo Schmidt, dessa maneira o trabalhador não teria conhecimento do assunto e não precisaria “mentir conscientemente”.

Tags: dieselgate, Volkswagen, fraude, motores, Oliver Schmidt.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
AB Inteligência