Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Caminhões: Mercedes-Benz toma liderança da MAN

Mercado | 06/01/2017 | 17h53

Caminhões: Mercedes-Benz toma liderança da MAN

Companhia entregou 15,1 mil caminhões em 2016 e ficou no topo do ranking
GIOVANNA RIATO, AB

Entre tantas reviravoltas no mercado, 2016 foi o ano em que a Mercedes-Benz destronou a MAN da posição de montadora que mais vende caminhões no Brasil. A companhia entregou 15,1 mil veículos da categoria, com queda de 21,7%. O tombo, no entanto, foi bem menor do que o total do mercado, que encolheu 29,4% ao longo do ano, para apenas 50,5 mil unidades, volume anêmico perto do recorde alcançado em 2011, quando o mercado interno do segmento superou a marca de 170 mil emplacamentos.

Com a redução mais contida, a Mercedes-Benz abocanhou 3,1 pontos porcentuais de participação nas vendas e somou 30% de market share em 2016. Enquanto isso, a MAN sustentou os mesmos 27,2% de participação nas vendas alcançados em 2015. Ainda assim, o volume de emplacamentos diminuiu, mas em proporção menor do que a queda geral. A companhia entregou, portanto, 13,6 mil caminhões, com redução de 29,9% na comparação com o resultado do ano passado.

Com o desempenho da MAN e o ganho de participação da Mercedes-Benz, o mercado de caminhões ficou mais concentrado em 2016, com 57,3% do market share nas mãos das duas companhias. Em 2015 este porcentual era de 54,1%.

Ford e Volvo disputaram a terceira colocação no ranking de vendas e a companhia norte-americana saiu vitoriosa. Com 7,7 mil caminhões novos licenciados, a marca garantiu 15,4% de participação. Ironicamente, apesar de ter alcançado a terceira posição entre as marcas mais vendidas, a empresa foi a que mais perdeu market share no ano passado, entregando 2,6 pontos porcentuais. O volume de vendas teve redução de 40%.

A Volvo, por sua vez, entregou 0,5 ponto de participação no mercado de caminhões e respondeu por 11,2% do total negociado no Brasil. A marca sueca negociou 5,6 mil caminhões, com contração de 32,8% na comparação com o resultado de 2015.

A Scania permaneceu na quinta colocação nas vendas com 4,2 mil caminhões licenciados, com baixa de 18,7%. Com o resultado, a companhia abocanhou 1,2 p.p. de participação nas vendas e respondeu por 8,4% dos caminhões novos licenciados em 2016. A Iveco aparece em seguida no ranking, com 5,2% de market share, participação 1,1 ponto menor do que a registrada em 2015. Foram vendidos 2,6 mil veículos da marca italiana ao longo do ano passado. O volume evidencia tombo de 42,3%.

Enquanto isso, a DAF, que chegou no mercado nacional há apenas três anos, segue escalando suas vendas. A empresa elevou em importantes 51,9% as entregas no mercado nacional, que somaram 673 caminhões. O patamar ainda é baixo, mas foi capaz de garantir 1,3 ponto porcentual de presença nas vendas e impulsionar a marca da décima para a sétima colocação no ranking do segmento.

A brasileira veterana Agrale, ficou atrás da marca holandesa em emplacamentos, com apenas 184 unidades negociadas. O volume foi 29,5% inferior ao de 2015, mas ainda assim a companhia não perdeu participação, garantindo novamente 0,4% de market share.

Os registros de emplacamentos do Renavam mostram ainda que em 2016 foram vendidos caminhões de marcas menores, que estão com as atividades suspensas no Brasil. A chinesa Sinotruk é uma delas. A empresa, cujo plano de construir fábrica local nunca foi adiante, entregou 180 unidades ao longo do ano passado. A International, que suspendeu a produção de sua fábrica em Canoas (RS), vendeu 74 veículos. A companhia pretende retomar as atividades na planta em 2017. A Foton, que assegura seguir firme com o plano de construir fábrica em Guaíba (RS), teve apenas 29 caminhões licenciados em 2016.



Tags: caminhões, Mercedes-Benz, MAN, ranking, 2016.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
AB Inteligência