Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Produção cai menos do que mercado interno

Indústria | 05/01/2017 | 19h25

Produção cai menos do que mercado interno

Em 2016 as fábricas de veículos produziram 2,15 milhões de unidades

PEDRO KUTNEY, AB

Dezembro foi o segundo melhor mês de produção de 2016 para os fabricantes de veículos instalados no Brasil, com 200,9 mil unidades, em expressiva alta de 40,6% sobre o mesmo período de 2015, mas 7,1% atrás de novembro, que por sua vez registrou o maior volume produzido em um ano. De janeiro a dezembro o total produzido alcançou 2,15 milhões, uma baixa considerável de 11,2% ante 2015, que levou as fábricas para ociosidade acima de 50%, em nível parecido com o que era produzido em 2003/2004 em número bastante inferior de unidades industriais. Ainda assim, graças ao crescimento das exportações (leia aqui), o tombo verificado nas linhas de montagem foi de cerca da metade do registrado no mercado doméstico, de 20,2%. Os números foram divulgados na quinta-feira, 5, pela Anfavea, associação que reúne as montadoras no País.

-Veja aqui os dados da Anfavea
-Leia também: Veja os resultados do setor automotivo em 2016


“As empresas já acreditavam em um dezembro melhor e acertaram, mas poderia ter sido ainda melhor, tendo em vista que, devido aos baixos volumes registrados em 2016, muitas fábricas paralisaram a produção antes do que normalmente se costuma fazer no fim do ano”, explicou Antonio Megale, presidente da Anfavea. Mesmo assim, novembro e dezembro foram os únicos meses que registraram produção mensal superior a 200 mil unidades, patamar que não era alcançado desde outubro de 2015.

Como a produção global deve atingir recorde de 80 milhões de veículos em 2016, a retração no ritmo das montadoras no Brasil deverá fazer o País cair da nona para a décima ou décima-primeira posição entre os países que mais produzem no mundo. “Isso é preocupante porque estamos preparados para produzir muito mais. A ociosidade média das fábricas é de 52% atualmente e esse índice chega a 75% entre os fabricantes de caminhões”, lamenta Megale.

A projeções da Anfavea, refeitas no meio de 2016, apontavam para a fabricação de quase 2,3 milhões de veículos no ano passado, número que se consolidou 6% menor, em 2,15 milhões. “Teríamos ficado bem mais perto da projeção se não fosse pela quebra de produção de uma de nossas associadas, que deixou de fazer de 130 mil a 140 mil carros no ano passado”, explicou Megale – referindo-se a Volkwagen, que entrou em litígio com o fornecedor de estruturas para bancos, o Grupo Prevent, e ficou com falta de componentes para produzir.

ESTOQUES E EMPREGO

Com as reduções de jornadas de trabalho, cancelamento de turnos e demissões, as montadoras conseguiram ajustar para baixo o ritmo de produção e colocaram os estoques em nível mais adequado. Ao fim de dezembro as fábricas e concessionárias tinham 176,2 mil veículos produzidos à espera de compradores, uma redução de pouco mais de 30 mil unidades em relação a novembro. Com isso, o número de dias de vendas necessários para consumir o estoque caiu para perto de um mês, o que é considerado ideal pela Anfavea.

Também segue grande o estoque de mão de obra da indústria: cerca de 9 mil do total de 121,2 mil empregados da indústria estão afastados do trabalho, em regime de layoff (suspensão temporária) ou PPE, Programa de Proteção ao Emprego, em que a empresa reduz o tempo da jornada e o salário. No fim do ano o governo aprovou a prorrogação do programa até dezembro deste ano, que passou a se chamar PSE (Programa de Seguro-Emprego), com aumento de 20% para até 30% na redução do tempo trabalhado e 50% da perda salarial coberta pelo FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) até o limite de pouco mais de R$ 1 mil. “Essa era uma antiga demanda da Anfavea que terá grande impacto na preservação de empregos no setor”, destacou Megale.

Com os programas de demissão voluntária levados a cabo durante 2016, em dezembro as montadoras continuaram a reduzir o número de empregados, que caiu 1,7% em relação a novembro, para o total de 121,2 mil funcionários. Um ano atrás a indústria empregava 130,5 mil pessoas, e em 12 meses foram fechadas 9,3 mil vagas, uma redução de 7,1%.

Assista abaixo a reportagem da ABTV sobre o desempenho da indústria em 2016



Tags: Anfavea, balanço, produção, mercado, indústria.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência