Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Consórcios: Abac espera repetir resultados em 2017

Crédito | 09/12/2016 | 14h40

Consórcios: Abac espera repetir resultados em 2017

Para este ano, desempenho das vendas pode variar entre -3% e +3%

REDAÇÃO AB

A Abac, associação que reúne as administradoras de consórcios no Brasil, trabalha com dois cenários para o fechamento do ano: de leve queda ou de crescimento entre -3% e 3%. Embora ainda sem o número fechado, o presidente da entidade, Paulo Rossi, aposta em um 2017 semelhante a este ano.

“Há possibilidade de repetirmos os resultados deste ano, considerando, mais uma vez, aqueles consumidores que analisam, comparam e planejam o futuro e utilizam o consórcio como opção de crédito para suas realizações”, afirma.

Esta diferença entre crescimento e queda considerados para 2016 leva em conta a forma como o desempenho do setor de consórcios oscilou ao longo do ano frente a fatores que influenciaram diretamente na tomada de decisões por crédito. Entre elas, a entidade cita a inflação alta, que segundo a Abac, agora está em processo de redução, combinada com as restrições do próprio crédito direto ao consumidor, além das taxas de desemprego e redução da renda, que provocaram queda em praticamente todos os segmentos, impulsionada pela falta de confiança do consumidor, que está mais receoso em assumir novos compromissos financeiros de médio e longo prazos.

Contudo, a Abac aposta em um novo movimento de estabilização que, segundo a própria entidade, já está em curso no País, citando dados divulgados recentemente pelo Banco Central. “Nota-se a retomada da confiança dos consumidores com esperança de resultados positivos para a economia já no segundo trimestre do ano que vem.”

BALANÇO

As vendas de novas cotas de consórcios para a aquisição de veículos diminuíram 6,4% no acumulado de dez meses sobre igual período do ano passado, para pouco mais de 1,62 milhão de unidades, considerando leves e pesados.

No segmento leve, houve recorde de adesões em outubro, elevando o total de participantes do ano em 5,4% contra os mesmos dez meses de 2015, para 3,32 milhões de consorciados. Isto reflete o aumento das vendas de cotas no período, que subiu 6,1% no comparativo anual, para 843,3 mil unidades no acumulado até outubro. O tíquete médio para o segmento que inclui automóveis e comerciais leves teve retração de 4,1%, passando de R$ 41 mil para R$ 39,3 mil. Já as contemplações ficaram estáveis, com 431,5 mil consorciados que receberam a carta de crédito.

No segmento de pesados o número de consorciados aumentou, embora a venda de cotas tenha diminuído 3,5%, para 41,1 mil unidades. Para este grupo, que inclui interessados na compra de caminhões, ônibus, semirreboques, implementos e até tratores, o tíquete médio ficou 9,8% menor, chegando a R$ 140,4 mil sobre os R$ 155 mil de um ano antes.

Já em motocicletas, o número de participantes ativos recuou 10,9%, para 2,54 milhões, refletindo a queda de 17% das vendas de cotas, que passou de 890,6 mil nos dez meses do ano passado para 739,3 mil neste ano. Ao que parece, o preço médio das cotas, mesmo que menor neste ano, R$ 7,7 mil contra os R$ 8,5 mil de 2015, não foi suficiente para atrair mais participantes para o segmento de duas rodas.



Tags: Consórcio, Abac, resultado, vendas, Paulo Rossi.

Comentários

  • Sandra Trindades

    Olá! boa tarde! Excelentes informações Grata Sandra

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência