Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
JAC T5 agora tem câmbio automático CVT
Opção automática CVT vai responder por 75% das vendas

Lançamentos | 18/11/2016 | 20h20

JAC T5 agora tem câmbio automático CVT

Nova versão chega por R$ 69.990 e deve responder por 75% das vendas do SUV

MÁRIO CURCIO, AB

O utilitário esportivo JAC T5 agora é vendido também com câmbio automático CVT. O modelo chega com preço promocional de R$ 69.990, R$ 1 mil a mais que o valor de lançamento da versão topo de linha manual, apresentada em fevereiro. Completo como em regra são os carros da JAC, o SUV traz controles de tração e estabilidade, ar-condicionado digital, central multimídia com, mirror link, Bluetooth e uma grande tela de oito polegadas sensível ao toque. O motor é o mesmo 1.5 flex da versão manual, com até 127 cavalos quando abastecido com etanol.

“A nova versão vai responder por 75% das vendas do T5”, afirma o presidente da JAC Motors do Brasil, Sérgio Habib. Um levantamento feito pelo executivo mostra que as vendas de concorrentes do T5 se concentram nas versões automáticas: Citroën Aircross, 61,6%; Honda HR-V, 99%; Jeep Renegade, 83,3%; Ford EcoSport, 59,3%; Nissan Kicks, 100%; Peugeot 2008, 82,6%.

A transmissão CVT adotada pelo T5 tem projeto belga, mas é montada na China. Conta com função Sport, que simula seis marchas e permite trocas sequenciais na alavanca de mudanças. Também tem um recurso ativado por um botão que ajuda a impedir a patinagem das rodas em piso com neve ou muito escorregadio. Faltaram só as borboletas para trocas de marcha atrás do volante.

JAC
Banco traseiro bipartido aumenta versatilidade do T5. Transmissão CVT tem alavanca de mudanças parecida com a de um câmbio automático convencional. Função Sport permite trocas manuais e simula seis marchas. Central multimídia tem tela de oito polegadas sensível ao toque com mirror link e Bluetooth.

Quando o T5 foi apresentado com a caixa manual no primeiro bimestre, a expectativa da empresa naquela época era emplacar 2,5 mil unidades em 2016, mas até outubro somente 651 unidades haviam sido licenciadas. A retração nas vendas forçou Habib a congelar também o plano de montagem local do modelo e não há nem mesmo um novo prazo: “Não dá para dizer quando. O mercado piorou muito. Havia expectativa de reação no segundo semestre, que não ocorreu”, diz Habib, referindo-se à baixa média diária de emplacamentos, abaixo de 8 mil unidades.

Em vez de começar a construir uma planta própria em Camaçari (BA), a JAC alugou um galpão e apenas uma reação nas vendas poderá ditar o início da produção.

AGRADOU DE MODO GERAL

O câmbio automático CVT deu outra pegada ao JAC T5 pelo conforto que propicia e também pela possibilidade de trocar marchas na alavanca. É mais sossego para quem dirige na cidade ou na estrada. O desempenho ainda é um tanto limitado por causa da baixa cilindrada (1.499 cc) e porque o torque máximo (15,7 kgf.m) surge só a 4 mil rpm, mas quando o câmbio é utilizado na função Sport e com as trocas manuais se consegue alguma agilidade.

Segundo a JAC, o T5 automático CVT acelera de zero a 100 km/h em 12,3 segundos e atinge 192 km/h de velocidade máxima (a versão manual vai de zero a 100 km/h em 10,8 km/h e chega a 194 km/h de máxima).

Andando a 120 km/h em sexta marcha o motor gira relativamente tranquilo a 3 mil rpm. Para acordá-lo de verdade em ultrapassagens é preciso reduzir uma ou duas marchas e esticá-lo a pelo menos 5 mil rpm.

Segundo a JAC, o porta-malas carrega 600 litros de bagagem, mas ele parece menor que o dos Renault Duster 4x2, com 475 litros. O espaço para as pernas no banco traseiro é bom e há cinto de segurança de três pontos para todo o mundo. O acabamento agrada de maneira geral. Um dos motivos de o carro ser bem resolvido e maduro é seu bom volume de produção.

JAC
Porta-malas é até generoso, mas parece ter menos do que os 600 litros informados pela JAC. Espaço no banco traseiro surpreende e tem Isofix para duas cadeirinhas.

Somente na China foram vendidas 150,3 mil unidades do T5 de janeiro a outubro, um número maior do que a soma de todos os Honda e Nissan emplacados no Brasil no mesmo período.

BOA OPÇÃO ENTRE OS SUVS PEQUENOS

A versão automática CVT torna o JAC T5 uma escolha acertada em sua faixa de preço por tudo aquilo que oferece. Além dos itens citados no início da reportagem, o carro tem controlador automático de velocidade, câmera de ré, rodas de liga leve de 16 polegadas, vidros, travas e retrovisores com acionamento elétrico, assistente de partida em rampa e distribuição eletrônica da força de frenagem.

O SUV traz ainda sistema Isofix para prender duas cadeirinhas infantis no banco traseiro, sensor de estacionamento, abertura interna do bocal do tanque de combustível, direção com assistência elétrica, faróis de neblina, computador de bordo com hodômetro parcial, consumo médio e instantâneo, autonomia, velocidade média e tempo de viagem, faróis com regulagem elétrica de altura, banco traseiro bipartido 60/40 e banco do motorista com ajuste de altura. A garantia é de seis anos.

Assista ao vídeo com detalhes do T5 automático CVT:



Tags: JAC, T5, CVT, Sérgio Habib, Ford, EcoSport, Citroën, Aircross, Honda, HR-V, Jeep, Renegade, Peugeot, 2008.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência