Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Reino Unido precisará oferecer incentivos às montadoras

Internacional | 03/11/2016 | 19h2

Reino Unido precisará oferecer incentivos às montadoras

Objetivo é manter interesse das empresas na região após a Brexit

REDAÇÃO AB

O Reino Unido está empenhado em manter robusta a indústria automotiva instalada ali mesmo após a Brexit, a polêmica decisão da nação de sair da União Europeia (leia aqui). O governo da região terá de oferecer uma série de incentivos e desonerações às montadoras que produzem e exportam veículos a partir dali. Estimativa feita por analistas consultados pela agência Reuters aponta que, para surtir resultados, estes estímulos precisarão superar a cifra gasta por estas empresas com os salários dos trabalhadores de suas operações britânicas.

Ainda que saia caro, a concessão de incentivos parece ser o único caminho para que o Reino Unido mantenha as dimensões atuais da indústria automotiva local. Sem um acordo de livre comércio, os carros feitos ali vão esbarrar na alíquota de 10% cobrada pela União Europeia para a entrada de veículos fabricados fora do bloco.

A Nissan, uma das poucas marcas estrangeiras a produzir carros na Inglaterra, já avisou que só se comprometerá a fazer novos investimentos na região se tiver garantia de que receberá alguma compensação. Em uma conta simples, a empresa, que exporta £ 2,9 bilhões anualmente do Reino Unido, teria custo adicional de £ 290 milhões para entregar os veículos na Europa. O montante supera o gasto da companhia com salários na região, que somou £ 288 milhões em 2015.

Diante da ameaça, a primeira ministra britânica, Theresa May, assegurou que o governo dará suporte para assegurar que os veículos feitos ali permaneçam competitivos no mercado europeu. Diante disso, a companhia firmou acordo para produzir novos modelos em sua fábrica inglesa. Os detalhes do entendimento entre montadora e governo, no entanto, não foram revelados.

O problema enfrentado pela Nissan se repete em toda a indústria automotiva britânica. A Reuters examinou dados das oito maiores exportadoras de carros, incluindo Mini, Jaguar Land Rover e Honda, e concluiu que estas companhias gastariam em tarifas de exportação mais do que é dedicado hoje a pagar salários dos trabalhadores de suas operações na região. Se o acordo com a Nissan compensou estes custos, o governo precisará encontrar uma maneira de oferecer incentivos equivalentes para as outras montadoras.

Tags: Reino Unido, Brexit, indústria automotiva, exportação, União Europeia.


Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
AB Inteligência