NOTÍCIAS
27/10/2016 | 22h00

Segurança

Nissan manobra contra nova colisão à imagem

Montadora anuncia fim da produção do Tsuru na véspera de teste


PEDRO KUTNEY, AB

O teste de impacto frontal e as fotos após a colisão: bem mais destruído que o Versa, Tsuru (vermelho) é carro mortal em acidentes
A Nissan tentou manobrar para evitar nova colisão à sua imagem. Na quarta-feira, 26, anunciou que em maio de 2017 vai parar de produzir no México o sedã Tsuru – uma versão de mais de 20 anos do Sentra. A comunicação aconteceu na véspera de um crash test programado pelo Global NCAP e Latin NCAP, entidades independentes que avaliam a segurança de automóveis, em conjunto com o Insurance Institute for Highway Safety (IIHS), mantido por seguradoras dos Estados Unidos. No teste patrocinado pelas organizações na quinta-feira, 27, foi realizado o impacto frontal uma velocidade combinada de 80 mph (129 km/h) entre um Versa 2016 vendido nos EUA, e um Tsuru 2015 comprado no México, com superposição de 50% da frente dos veículos.

Ambos os modelos são feitos na fábrica mexicana da Nissan e os dois já haviam passado por crash tests anteriormente. O Versa foi qualificado como “bom” pelo IIHS e o Tsuru ganhou zero estrela para ocupantes adultos e crianças pelo Latin NCAP. Na experimentação realizada quinta-feira na sede do IIHS na Virgínia, EUA, o resultado foi exatamente o que já era esperado por todos: o Tsuru ficou bastante mais destruído e seu motorista teria apresentado lesões com alta probabilidade de morte, segundo comunicado do Latin NCAP. “A batida tem altas possibilidades de ter sido fatal, o Tsuru não tinha airbags e as principais estruturas do veículo colapsaram, comprometendo o espaço de sobrevivência”, diz a nota da organização.

Com o anúncio na véspera do teste de parar de fabricar o Tsuru só daqui a seis meses, a Nissan não conseguiu evitar totalmente a já esperada pancada. “Esta decisão de suspender a produção de um veículo tão inseguro é muito demorada. Faz três anos o Latin NCAP fez o teste de colisão desse modelo, com resultado de zero estrela. A Nissan demorou bastante em reconhecer que a venda de automóveis de baixos padrões de segurança é inaceitável. Felizmente responderam às demandas do Latin NCAP e dos consumidores mexicanos para retirar o Tsuru do mercado”, afirmou após o crash test David Ward, secretário geral do Global NCAP.

Alejandro Furas, secretário geral do Latin NCAP, avalia que a montadora deve agir mais rápido para evitar que mais motes aconteçam a bordo do Tsuru. “Acho que a Nissan fez esse anúncio em resposta à nossa campanha para que não sejam mais comercializados veículos com zero estrela no México e na América Latina inteira. O teste de batida carro contra carro demonstrou por que esses modelos deveriam ser retirados do mercado. Em abril deste ano publicamos um relatório em que se atribuía ao Tsuru, ao menos, 4 mil mortes no México entre 2007 e 2012. Apesar de parabenizarmos o anúncio da Nissan, por que devem esperar até maio de 2017 para parar de vender este carro tão inseguro?”, questionou Furas.

APELO POR LEIS MAIS SEVERAS

“Nosso primeiro teste de batida carro contra carro demonstrou claramente a importância de contar com regras mínimas de segurança veicular. O México ainda não conta com essas regulamentações, e os Estados Unidos as aplicam há décadas. A falta de regulações pode gerar a venda de carros muito insegura como o Tsuru. Todos os países da América Latina e do Caribe devem aplicar as Normas de Segurança Veiculares das Nações Unidas ou seu equivalente, onde para que não existam mais veículos zero estrela”, exortou Ward, do Global NCAP.

Um dia antes, o Global NCAP publicou um relatório devastador sobre a falta de imposição legal para adoção de sistemas de segurança veicular na América Latina. Segundo o estudo, se os carros fabricados e vendidos na região tivessem obrigatoriamente certos equipamentos, como controle eletrônicos de estabilidade ou cintos de segurança com pré-tencionador, entre outros, poderiam ser evitadas até 2030 mais de 40 mil mortes, além de 400 mil feridos, com economia de recursos de até US$ 143 bilhões no período de 2016 a 2030 (leia a reportagem aqui e veja o relatório aqui).

Para a Nissan, contudo, nada disso parece existir. Na nota que divulgou na quarta-feira anunciando o fim da produção do Tsuru, a montadora seguiu ressaltando qualidades do modelo: “Veículo muito popular, com mais de 2,4 milhões de unidades vendidas, ofereceu mobilidade acessível, econômica e confiável para motoristas de todo o país (México) e de outros mercados por mais de três décadas”, diz o comunicado.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 19/07/2017
Notícias recentes sobre carros elétricos se parecem mais com capítulos de novela

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement
AUTOINFORME | 19/07/2017
Autor dos Estados Unidos defende que beber e conduzir não deveria ser crime
DE CARRO POR AÍ | 14/07/2017
Vendas do mais compacto dos Fiat começam a crescer
DISTRIBUIÇÃO | 07/07/2017
Concessionárias ainda não organizaram estrutura para atuar na internet
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
INOVAÇÃO | 01/06/2017
Desordem pode fazer com que iniciativas de inovação fracasssem
Negócios | 08/03/2017
Tecnologia faz parte da receita para sair da crise
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes