Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
DAF comemora 3 anos de Brasil com novidades
Fábrica da DAF em Ponta Grossa completa 3 anos de operações no Brasil

Indústria | 07/10/2016 | 17h27

DAF comemora 3 anos de Brasil com novidades

Lançará caminhão off-road na Fenatran 2017 e ampliará número de fornecedores

SUELI REIS, AB | De Ponta Grossa (PR)

Enquanto o mercado de caminhões vive um dos seus piores momentos no Brasil, a DAF comemora – e não é só por causa do aniversário de 3 anos da fábrica de Ponta Grossa (PR) completos neste mês (leia aqui). A marca que pertence ao Grupo Paccar é a única no País a registrar aumento das vendas no segmento de comerciais pesados: de janeiro a setembro deste ano, os emplacamentos somaram 492 unidades, 57% a mais do que o volume de iguais meses de 2015. Além disso, a empresa vem anotando crescimento gradual de sua participação de mercado, que hoje está em 4%.

“Depois de investir mais de R$ 1 bilhão de recursos próprios em nossa fábrica de Ponta Grossa, que desde sua inauguração, em outubro de 2013, já produziu mais de 1,4 mil caminhões, estamos colhendo os frutos. É fato que quando decidimos entrar do mercado brasileiro, em 2010, o cenário de então apontava para um volume de no mínimo 170 mil unidades por ano. Nos ajustamos ao mercado atual e estamos muito contentes com este crescimento”, afirmou Michael Kuester, presidente da DAF Caminhões no Brasil.

Além de comemorar os resultados, o executivo anuncia boas novas da marca para o País: “Estamos aumentando share e o objetivo é aumentar cada vez mais com os caminhões que lançaremos em breve: a linha 2017 contará com novidades, como o nosso modelo off-road que será apresentado na Fenatran do próximo ano”, revela Kuester. “Também está nos planos trazer o CF versão rígida, mas dependerá da rapidez de retomada do mercado”, aponta.

O diretor de desenvolvimento de produto da DAF no Brasil, Ricardo Coelho, que foi o primeiro engenheiro contratado pela empresa no País, explica que o novo caminhão off-road está sendo projetado com base no que já há no XF105 e CF85, os dois caminhões produzidos pela DAF no Brasil. A equipe de 25 engenheiros de Ponta Grossa conta com total suporte do time de desenvolvimento da DAF na Holanda, hoje formada por 900 profissionais. “O que posso adiantar é que o modelo terá como principal característica a robustez, que já está no DNA dos produtos DAF. Os veículos estão em teste, são modelos com redução no cubo e diferentes potências”. Segundo ele, a empresa está investindo R$ 14 milhões apenas na área de engenharia do produto, sem contar pequenos ajustes na fábrica e na divulgação do modelo.

As equipes interagem por meio de intercâmbios para trocar experiências e entender a necessidade das aplicações. “No caso dos produtos para o Brasil, 85% dos testes são realizados aqui mesmo, porque os caminhões precisam estar adaptados à realidade das estradas brasileiras”, afirma. “Além do lançamento na Fenatran 2017, também teremos mais novidades em 2018 e 2019, projetos futuros que já estamos trabalhando”, confirma.

Outra novidade é o início das análises para mercados de exportação. Segundo Kuester, as miras iniciais serão Chile e Peru: “Estamos estudando para dar volume à nossa fábrica. Por enquanto, os produtos feitos aqui não são adequados para estes mercados, então nossa equipe está viajando para estes países e fazendo estudos a fim de entender e avançar com as necessidades locais. Acredito que em seis meses teremos mais novidades a este respeito, mas o foco ainda é o Brasil”.

Em um momento como o do mercado brasileiro retraído, as exportações se tornam uma alternativa necessária: com capacidade para montar 10 caminhões por turno – ou 10 mil por ano, a produção atual da DAF no País está em 3 caminhões por dia. A partir do dia 31 deste mês, a fábrica de Ponta Grossa passa a montar 4 caminhões diariamente. A unidade conta com 250 funcionários.

Kuester acrescenta ainda que o desenvolvimento de fornecedores também está no escopo da DAF para 2017. “Não é por acaso que nos instalamos numa região entre São Paulo e Curitiba – é estratégico e ao mesmo tempo facilita muito estar mais perto de nossos parceiros. Hoje contamos com 60 empresas de atuação nacional e em 2017 serão mais 24. Localizar é uma necessidade: não podemos nos expor à volatilidade do câmbio”, afirma.

O presidente lembra ainda que tanto o XF105 quanto o CF85 contam com mais de 65% de nacionalização, índice que garante sua participação na linha de financiamento Finame, do BNDES. O nível deve subir ainda mais com a produção local de motores que começou no fim de 2015 e para a qual a empresa destinou R$ 60 milhões (leia aqui).

EVOLUÇÃO DA MARCA

“Estou extremamente orgulhoso por ser de uma companhia com a qualidade e o potencial que a DAF tem”, explana Luis Gambim, diretor comercial que chegou na companhia pouco tempo depois de a empresa se instalar no País. Ele reforça que apesar de ser uma marca nova por aqui, sua posição atual a coloca acima de outras duas já consolidadas no mercado. Seus dados mostram crescimento médio de 60% nos dois últimos anos a partir da consolidação dos modelos XF105 e CF85. “Estamos em curva ascendente e a tendência é crescer ainda mais – devemos encerrar este ano com 5% de market share; em 2017, o plano visa 7,5%, mas nossa meta como marca é chegar aos 10% do mercado. Este aumento é importante, porque dá visibilidade à marca”, afirma.

Para sustentar os planos de ascender em um mercado em trevas, a DAF baseia sua estratégia não só no aumento de portfólio, mas também com foco especial em sua rede de distribuição. Segundo Gambim, as 22 concessionárias da marca, incluindo a que será inaugurada neste mês no Rio Grande do Sul, pertencem a 14 grupos empresariais e cobrem 80% do território nacional. “A rede passará para 29 revendas em 2017 com a entrada de mais dois grupos de investidores, o que aumentará para 94% nossa área de cobertura no Brasil, sem contar os postos de serviços autorizados, que passarão de cinco para sete também no ano que vem.”

A empresa também pretende ganhar novos clientes a partir de sua atuação própria na unidade DAF Guarulhos, revenda responsável pela região da Grande São Paulo e Baixada Santista (leia aqui). “Esta unidade também vai fazer aumentar gradativamente nosso share nesta região que é tão importante.”

“Ganhamos a fama do ‘caminhão que não quebra’, o que mostra a qualidade e a seriedade da marca em oferecer o melhor produto. Até hoje, o primeiro caminhão que vendemos no País - um XF150 adquirido pela Transportes Begnini - nunca perdeu uma hora de trabalho: estamos falando de um caminhão com mais de 500 mil quilômetros rodados”, conta. “Também está nos planos para o futuro um programa de recompra pela fábrica.”

FOCO NO PÓS-VENDA

A divisão de autopeças Paccar Parts também acompanha a evolução da DAF no Brasil com um plano de expansão para a TRP, marca de autopeças com atuação global para o atendimento de veículos comerciais. Diferente das peças genuínas dos caminhões DAF, fornecidos pela própria montadora e cujo centro de distribuição está instalado dentro da fábrica de Ponta Grossa, a TRP atende apenas caminhões de outras marcas.

Sua linha composta atualmente com 26 linhas de produtos passa a contar com dois novos tipos de itens: correias e tensionadores, frutos da parceria com a Continental e Dayco. Com os novos produtos, agora são mais de 600 itens disponíveis para o mercado de reposição.

A linha TRP é disponível apenas na rede de concessionárias DAF: “O objetivo da TRP é criar uma parada única de manutenção onde o transportador encontre tudo o que precisa para seu veículo”, afirma o diretor da Paccar Parts no Brasil, Carlos Tavares. Segundo o executivo, a linha de produtos fornece peça para mais de 90% da frota circulante no Brasil.

“É um elemento que agrega valor para a concessionária e mais uma oportunidade de negócio para as revendas da DAF como apoio à fidelização. É uma linha que vem somar: são mais de 25 anos de atuação e foi da Europa para a América do Norte como um caminho natural de expansão. É uma experiência positiva, inclusive nas lojas independentes que funcionam nestes mercados”.

De acordo com Tavares, 70% do portfólio é de fornecedores locais instalados no Brasil, sendo as demais com origem europeia. Sobre oferecer a linha para caminhões DAF, o executivo explica que por se tratar de um produto novo, ainda há um volume considerável de veículos dentro do período de garantia, cujas peças são fornecidas pela Paccar Parts a partir de seu centro de distribuição de Ponta Grossa.

“Mas estamos estudando essa inclusão de caminhões da marca, acredito que mais parao fim do próximo ano.”



Tags: DAF, fábrica, caminhão, Fenatran, off-road, Ponta-Grossa, 3 anos, fornecedores, Paccar Parts, TRP, Michael Kuester, Luis Gambim, Carlos Tavares, Ricardo Coelho.

Comentários

  • Marcos Antonio Barão

    Olá, parabéns pela reportagem, tenho acompanhado a saga dessa respeitada empresa DAF que é motivo de orgulho para nós brasileiros, pela forma como vem mostrando que o Brasil e países vizinhos são verdadeiros produtores de riqueza. Esta reportagem é um termômetro preciso. Muito bom! Abç!

  • Ronaldo Silva

    Fico muito feliz em saber que esta conceituada marca , conquistará ainda mais espaço no cenário nacional e principalmente no mercado do estado do Rio de Janeiro, que merece este excelente produto. Parabéns a toda equipe DAF e sejam muito bem vindos, com muito sucesso e prosperidade. Rumo ao sucesso e a conquista do Rio de Janeiro!!!

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência